A extraordinária Xangai

A extraordinária Xangai

Andrea Tissenbaum

21 de março de 2019 | 08h02

Shanghai Jiao Tong University | Foto: Photons_in_action, via iStock

Shanghai Jiao Tong University | Foto: Photons_in_action, via iStock

A maior cidade da China, além de deslumbrante, é uma força econômica e concentra excelentes universidades que também lecionam em inglês.

Xangai, apesar de não ser a capital, é a maior cidade da China. Sua região metropolitana, bem na costa central oriental do país, acomoda mais de 24 milhões de pessoas. Xangai é a maior força econômica e comercial chinesa. Além disso, é o maior porto de cargas do mundo.

A cidade atrai turistas de todas as partes e alguns de seus pontos históricos são motivo suficiente para atravessar o mundo. Como o Bund, área do distrito de Huangpu no centro da cidade, o Templo Cidade de Deus e o centro financeiro de Pudong, distrito recente onde encontram-se a Torre Pérola Oriental, o Shanghai World Finance Center e a Jim Mao Tower.

Shanghai Tower| Foto: daniel hu, via iStock

Shanghai Tower| Foto: daniel hu, via iStock

Se você gosta de cultura e história, Xangai tem uma variedade impressionante de museus e ambientes artísticos. O 50 Moganshan Road, famoso distrito de arte contemporânea da cidade, mais conhecido como M50, é simplesmente incrível. É ali que dezenas de artistas mostram seus trabalhos em diversas galerias e exposições.

A China tem mais de 350 mil estudantes internacionais espalhados por suas universidades e cursar o ensino superior em uma de suas instituições de ensino está cada vez mais acessível. O governo tem projetos e iniciativas para aumentar o número de alunos estrangeiros. Até 2020, a intenção é receber 500 mil estudantes internacionais.

Fudan University | Foto: winhorse, via iStock

Fudan University | Foto: winhorse, via iStock

O investimento na educação transnacional também é alto. Vale explicar que educação transnacional, basicamente, significa qualquer curso ou programa de estudo de ensino superior em que os alunos estejam em um país diferente daquele em que a instituição que o oferece está localizada. A parceria que a China mantem com aproximadamente 70 países, garante o reconhecimento de suas qualificações acadêmicas e traz importantes campi de instituições de ensino renomadas. Três exemplos são as norte-americanas Harvard, Stanford e NYU – New York University. Hoje, aproximadamente 1.800 cursos acadêmicos são ministrados na língua inglesa em todo o país.

Por falar nisso, Xangai abriga alguns campi de instituições estrangeiras, como é o caso da New York University Shanghai (NYU Shanghai).  A parceria entre a renomada New York University e a East China Normal University of Shanghai, oferece inúmeros cursos em inglês.

As principais universidades de Xangai são a Fudan University e a Shanghai Jiao Tong University, respectivamente na 44ª e 59ª posição no QS World University Rankings 2019. A Shanghai Jiao Tong University, inclusive, é responsável por um dos rankings de ensino superior mais renomados do mundo, o Academic Ranking of World Universities (ARWU), publicado anualmente desde 2003.

Biblioteca da Shanghai Jiao Tong University | Foto: littlepeggy, via iStock

Biblioteca da Shanghai Jiao Tong University | Foto: littlepeggy, via iStock

Outras instituições de ensino como Tongji, East China Normal University, Shanghai University, Donghua, Shanghai University of Finance and Economics, University of Shanghai for Science and Technology e Shanghai International Studies University, também merecem destaque.

Na China, estudantes internacionais não podem trabalhar durante os estudos. No entanto, após a conclusão do curso, quem já tem dois anos de experiência pode se inscrever para o visto de trabalho Z visa. O programa Lecione na China, também permite que professores de inglês interessados em dar aulas no país façam isso por 12 meses.

Festival Cherry Blosson da Universidade de Tongji | Foto: yanjf, via iStock

Festival Cherry Blosson da Universidade de Tongji | Foto: yanjf, via iStock

O país oferece dois tipos de vistos de estudante. O X1 é para estudos de mais 180 dias e o X2, para cursos de no máximo 180 dias. No geral, para solicitá-los, você precisa de um passaporte válido, o formulário de inscrição preenchido e a carta de admissão emitida pela universidade chinesa. No site da Embaixada Chinesa no Brasil, você encontra todas as informações sobre vistos, bolsas de estudo oferecidas pelo governo chinês e sobre peculiaridades da vida na China.

A opção mais barata de acomodação estudantil em Xangai são os dormitórios acadêmicos, também uma ótima forma de estar rodeado por outros estudantes estrangeiros. Locomover-se pela cidade é fácil. O metrô, inaugurado em 1933, tem estações em quase todos os distritos da cidade. Além disso, Xangai é um importante centro de transportes aéreo, ferroviário, rodoviário e aquático no leste da China.

Antiga cidade de Suzhou, Xangai, China | Foto Sergdid via iStock

Antiga cidade de Suzhou, Xangai, China | Foto Sergdid via iStock

Algumas redes sociais e aplicativos famosos pelo mundo como o Facebook e o WhatsApp são proibidos na China. De fato, o país é mais restritivo que outros em diversos aspectos, e é importante ficar bem atento às regras. Você precisa obedecer a todos as leis e regulamentos das universidades, para não se meter em confusões. O portal do Sistema de Admissão de Universidades e Colégios da China – CUCAS, explica algumas regras básicas para estudantes internacionais. Eu sugiro que você não vá para lá sem conhecê-las.

Cena Urbana de Xangai | Foto: Eugeneonline via iStock

Cena Urbana de Xangai | Foto: Eugeneonline via iStock

> Sites úteis para quem quer estudar na China:

Campus in China

China’s University and College Admission System Portal – CUCAS

Study in China – site oficial do governo

China Admissions

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no InstagramFacebook e Twitter.