A dinâmica cidade de Dublin, capital da Irlanda

A dinâmica cidade de Dublin, capital da Irlanda

Andrea Tissenbaum

28 de janeiro de 2020 | 09h19

University College Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

University College Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

Cidade Unesco da literatura e sede de quatro das oito universidades de ranking mundial da Irlanda, Dublin é capital de uma das economias que mais crescem na União Europeia.

Amigável, animada, vibrante, adorável, receptiva, acolhedora e segura. Estes são alguns dos melhores adjetivos que posso usar para descrever Dublin, a capital da Irlanda. Com pouco mais de 1,3 milhões de habitantes, dos quais 17% são estrangeiros, a cidade, de tamanho ideal, é absolutamente cosmopolita e internacional. 

Senti essa vibração logo no primeiro dia de minha estadia quando, após deixar minhas coisas no hotel, saí para dar uma volta. Já era noite, estava frio e garoava, mas nada parecia incomodar as pessoas que caminhavam pelas ruas. De imediato, fiquei encantada com a beleza da arquitetura e os ares de cidade grande. Dublin é tão contagiante que fui invadida por uma estranha felicidade de poder fazer parte daquele ambiente.

Grogans Pub | Foto: Frédéric Poirot, via Flickr

Grogans Pub | Foto: Frédéric Poirot, via Flickr

Recém-chegada na terra dos pubs em uma sexta feira à noite, fui conferir a dica de uma amiga irlandesa e caminhei até o Grogans, bar local competente e nada pretensioso, lotado de irlandeses que falavam muito e bem alto. Por um momento, cheguei a pensar que estava no Brasil. É que os irlandeses, apesar de reservados, gostam de conversar e adoram contar um caso sempre que podem. “Não se esqueça de pedir uma cerveja Guinness e um queijo quente, muito saborosos”, ela me disse. Sugestão acatada, foi exatamente assim que fiz minha gloriosa estreia na capital. Não poderia ter sido mais bem-sucedida.

A lua e as ruas de Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

A lua e as ruas de Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

É absolutamente impossível não se apaixonar por Dublin. Construída pelos Vikings, nas margens do rio Liffey, a cidade possui a população mais jovem da Europa, oriunda das mais diversas nacionalidades. De fato, no ranking QS Best Student Cities 2019, Dublin ocupa a 12ª posição no quesito mix de estudantes, que reflete não só a alta concentração estudantil na cidade como também a considerável proporção de alunos internacionais (23% vêm de fora da Irlanda). Nessa pequena Torre de Babel, de invernos gelados e verões amenos onde a chuva nunca avisa quando vai chegar, o espaço é amigavelmente compartilhado com os irlandeses e seu excelente senso de humor e hospitalidade.

O ônibus do Chá, ruas de Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

O ônibus do Chá, ruas de Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

Mas há muito mais para fazer em Dublin além dos pubs localizados em praticamente todos seus quarteirões. Cidade Unesco da literatura, é berço de autores importantes como George Bernard Shaw, Oscar Wilde, James Joyce, William Butler Yeats e Samuel Beckett.  O novo Museum of Literature Ireland – MoLI, casa de grandes contadores de histórias, é emocionante e imperdível. Localizado na University College Dublin Newman House, sede original da instituição de ensino, é um local repleto de histórias literárias únicas.

St. Patrick's Cathedral, Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

St. Patrick’s Cathedral, Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

Dentre sua bela arquitetura, destacam-se o Castelo de Dublin, que data do século 13, e a imponente Catedral de St. Patrick, fundada em 1191. As belas áreas verdes, além dos jardins que compõem as construções, incluem o St. Stephen’s Green e o Phoenix Park, onde fica o Zoológico de Dublin. O Museu Nacional da Irlanda, que explora o patrimônio e a cultura irlandesas deve ser visitado. Foi lá que me escondi da chuva por algumas horas e aprendi que a história desse país é de fato, fascinante.

O Castelo de Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

O Castelo de Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

Da mesma forma, a Guinness Storehouse, museu temático da cervejaria e o Irish Modern Art Museum, que além de estar localizado no extraordinário sítio histórico do Royal Hospital Kilmainham, abriga um imenso jardim, também são imperdíveis. Visitei os dois e adorei. Caminhar em Dublin é fundamental.

Trinity College, Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

Trinity College Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

A oferta de cursos superiores de altíssima qualidade também garante a popularidade de Dublin. Fundada em 1592, Trinity College Dublin é mais antiga universidade da Irlanda. Reconhecida como a número um do país, também é um importante centro de pesquisa. Seu extenso campus, com belíssimos edifícios históricos, fica situado no centro da cidade e tem uma biblioteca com um acervo impressionante que inclui o famoso Book of Kells – também conhecido como o “Grande Evangeliário de São Columba”. O manuscrito ilustrado, feito por monges celtas por volta do ano 800, é visitado por mais de 500 mil pessoas anualmente.

Outra instituição de porte, com mais de 30 mil alunos de 136 nacionalidades, é a University College Dublin – UCD. Em 2019, seis de seus departamentos se destacaram no QS World University Rankings by Subject: Ciências Veterinárias, Gerenciamento de Bibliotecas e Informações, Enfermagem, Língua e Literatura Inglesas, Esportes e Engenharia Mineral e de Mineração. Além disso, a UCD mantém um excelente posicionamento no que se refere à empregabilidade de seus alunos. Em 2020, se classificou pelo terceiro ano consecutivo no QS Graduate Employability Rankings como a número um na Irlanda e a 75ª no mundo.

University College Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

University College Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

Já a TU Dublin, primeira universidade tecnológica da Irlanda e segunda maior do país, oferece a seus 28.500 alunos uma gama única de programas e disciplinas, da graduação ao doutorado, onde convergem as artes, os negócios, as ciências, a engenharia e a tecnologia. Criada em 2019, seus três campi oferecem uma grande variedade de laboratórios e equipamentos científicos especializados. É que a jovem instituição resulta da fusão do Dublin Institute of Technology, do Institute of Technology – Blanchardstown, e do Institute of Technology – Tallaght. O novo campus de Grangegorman, ainda em desenvolvimento e no coração de Dublin, tem por objetivo ser um espaço de avanço do conhecimento, desenvolvimento sustentável e educação inclusiva.

TU Dublin | Foto: Gustavo Sumares

TU Dublin | Foto: Gustavo Sumares

Criada como National Institute for Higher Education, Dublin, em 1975, a Dublin City University matriculou seus primeiros alunos em 1980 e foi elevada ao status de universidade em setembro de 1989. Nada convencional e com um corpo docente 80% internacional, é uma instituição inovadora e voltada ao mercado da Irlanda. Em 2013, foi designada como Changemaker Campus pela organização não governamental Ashoka U, por seu trabalho em inovação social no ensino superior.

St. Stephen's Green Park, Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

St. Stephen’s Green Park, Dublin | Foto: Andrea Tissenbaum

As taxas universitárias em Dublin, para estudantes internacionais, oscilam entre 9 e 25 mil euros anuais, dependendo do curso escolhido. Esse valor no entanto, não é o mesmo para todos. Estrangeiros, não-europeus, pagam taxas integrais. Europeus que podem comprovar residência há cinco anos na europa e pagamento de impostos há pelo menos três anos nesse período, pagam taxas reduzidas. Estudantes irlandeses só pagam as taxas administrativas. No entanto, quase todas as instituições oferecem uma pequena bolsa de entrada por mérito acadêmico. E há outras possibilidades, como a bolsa anual do governo irlandês e ofertas que devem ser pesquisadas diretamente nos sites das instituições de ensino. É muito importante ser persistente na busca por bolsas de estudo. Saiba mais AQUI.

A Irlanda também oferece algumas facilidades aos estudantes brasileiros. A primeira delas é que para estudar no país, a obtenção de um visto de estudante antes de viajar não é obrigatória. Apresentando todos os documentos necessários ao desembarcar, você vai receber, na imigração, um visto temporário de um mês.

A partir daí, terá 30 dias para ir ao escritório de imigração com um extrato bancário, comprovando depósito mínimo de três mil euros em um banco irlandês, e a carta da universidade demonstrando sua matrícula e período do curso. Brasileiros podem optar por apresentar um extrato bancário oficial atualizado, que comprove depósito do valor correspondente aos três mil euros, em uma conta no Brasil. Com esses dados, o oficial de imigração concederá o visto para o período de seus estudos. Confira informações atualizadas sobre os requerimentos para visto de estudante na Irlanda AQUI. 

Google QG, Dublin | Foto: Stephen Bergin, via Unsplash

Google QG, Dublin | Foto: Stephen Bergin, via Unsplash

Além disso, alunos que frequentam um curso em tempo integral de pelo menos um ano letivo, podem trabalhar por até 20 horas semanais em determinadas épocas do ano. Saiba mais sobre trabalhar na Irlanda durante seus estudos AQUI

Vale dizer que importantes empresas internacionais estabeleceram seus principais escritórios na cidade. Durante seu programa, poder fazer um estágio na Google, Facebook, Airbnb, Paypal, Microsoft, Indeed, Twitter, Ebay ou Linkedin não é nada mal, certo?

No entanto, por conta desse notável despontar da cidade como pólo das indústrias farmacêutica, de tecnologia e inovação, a habitação se tornou escassa e cara em Dublin. Então, se você vai realmente estudar em Dublin, comece seu processo de busca com muitos meses de antecedência para entender o mercado e poder escolher com calma onde vai morar.

Trinity College Business School | Foto: Andrea Tissenbaum

Trinity College Business School | Foto: Andrea Tissenbaum

Dividir uma casa ou apartamento com outras pessoas é uma opção bastante popular. As universidades também oferecem apartamentos bastante completos e equipados para serem compartilhados com outros alunos. Embora essa opção seja muito concorrida e às vezes um pouco cara, pode valer a pena, pela facilidade de você ficar dentro do campus e chegar rápido na sala de aula ou de volta para casa. Sites como o Daft.ie ou o HousingAnywhere.com, plataforma de moradia para estudantes internacionais, podem ser de grande ajuda e permitem que você procure seu imóvel por área e linhas de transporte público.

O custo de vida para um estudante estrangeiro pode ser relativamente baixo, especialmente se você se propuser a viver como os locais. Como os hábitos são bastante diferentes dos que temos no Brasil, o consumo é menos banalizado e naturalmente as pessoas tendem a pensar melhor antes de gastar. Dublin oferece um bom sistema de transporte público e a bicicleta também é um meio de locomoção bastante utilizado. A cidade é plana e tudo é muito perto. Além disso, para quem quer viajar a fácil localização de Dublin favorece viagens pela Irlanda e por todo o velho continente de avião, trem ou ônibus. Basta se programar para poder aproveitar. Saiba mais sobre o custo de vida em Dublin AQUI.

“Céad Míle Fáilte” ou cem mil boas-vindas, diz o ditado em gaélico irlandês (língua nativa na Ilha da Irlanda). Sim, seja lá quem você for ou de onde você vem, não tenha nenhuma dúvida, Dublin te espera de braços abertos!

>> Sites informativos:

Education in Ireland 

Blog – Education in Ireland

Irish Council for International Students

Higher Education Authority – bolsas de estudo

Dublin City Council

A Tissen no campus de Trinity College, Dublin | Foto: Gustavo Sumares

A Tissen no campus do Trinity College, Dublin | Foto: Gustavo Sumares

Andrea Tissenbaum visitou a Irlanda e várias de suas instituições de ensino entre 12 e 19 de janeiro de 2020, a convite do Education in Ireland, órgão do governo responsável pela promoção da educação superior da Irlanda no mundo.

A Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no Facebook, Twitter e Instagram.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: