A acolhedora Ottawa

A acolhedora Ottawa

Andrea Tissenbaum

05 de dezembro de 2019 | 11h25

University of Ottawa | Foto: Asif-A.-Ali, via Flickr

University of Ottawa | Foto: Asif-A.-Ali, via Flickr

Multilingue e multicultural, a vibrante Ottawa é sede de várias instituições de ensino de altíssima qualidade e um excelente destino para estudantes internacionais.

Acolhedora e linda, Ottawa fica na província de Ontario, fronteira com a província do Quebec. Escolhida como capital do país pela Rainha Vitória do Reino Unido em 1857, brilha desde então. Sede de inúmeras instituições de ensino, tem um dos mais altos índices educacionais do Canadá e é considerada a segunda melhor cidade para se viver no país.

Embora sua população não chegue a um milhão de habitantes, Ottawa tem ares de cidade grade. Talvez pela presença do Parlamento canadense ou por, como Montreal, ser sofisticada e ter uma vida cultural intensa. Cheguei em Ottawa de trem e fiquei lá por alguns dias. Apesar da neve e do frio, pude passear bastante e conhecer bem algumas instituições de ensino. A viagem de Montreal leva pouco mais de uma hora e meia e a bela paisagem confirma porque que ela deve ser feita.

Canal Rideau | Foto: NCC-CCN, via Flickr

Canal Rideau | Foto: NCC-CCN, via Flickr

O charmoso centro de Ottawa, repleto de pequenos restaurantes, é bastante convidativo a caminhadas e passeios de bicicleta. O Canal Rideau, patrimônio da UNESCO, fica congelado durante o inverno e transforma-se no maior ringue de patinação do mundo. Quem acha que é impossível divertir-se no inverno, aprende rapidamente em Ottawa que isso é um engano. Na cidade, os espaços públicos são repletos dos mais variados festivais e tem sempre gente andando nas ruas.

Centro de Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

Centro de Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

Localizada em um dos pontos mais bonitos da cidade, a National Gallery of Ottawa foi uma grata surpresa. Além de ter um acervo de arte espetacular, a premiada arquitetura do museu é belíssima. Outra parada obrigatória, fechada para reformas pela próxima década, é o Parlamento, onde decisões importantes são tomadas. Os edifícios de estilo neogótico, foram inaugurados em 1866. No pátio de entrada, a belíssima Chama Centenária, cercada por uma fonte cuja borda contém os escudos das 13 províncias e territórios do Canadá, desde 1967 celebra o aniversário da confederação canadense.

Tissen e Juliana Kagami da Fundação Estudar | Parlamento Canadense | Foto: Andrea Tissenbaum

Tissen e Juliana Kagami, da Fundação Estudar | Parlamento Canadense | Foto: Andrea Tissenbaum

Todos os dias, turistas e visitantes fazem desejos e jogam suas moedas da sorte na fonte. O dinheiro coletado, financia parte do Centennial Flame Research Award, prêmio que ajuda a pagar por pesquisas e relatórios sobre deficiências. Anualmente, o Standing Committee on Human Resources, Skills and Social Development and the Status of Persons with Disabilities entrega o prêmio a um pesquisador com deficiência. Um reflexo do espírito canadense onde a inclusão, o respeito à diversidade e o acolhimento são características marcantes.

Algonquin College, Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

Algonquin College, Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

Ottawa é sede de boas universidades, Colleges e CEGEPS, instituições de ensino técnico, características do sistema educativo do Quebec. Os CEGEPS oferecem mais de 125 programas técnicos,  pré-universitários e formações de curta duração de alta qualidade. A University of Ottawa, maior universidade bilíngue (inglês-francês) do mundo, é muito bem ranqueada no QS World Universities Ranking 2019. A instituição ganha reconhecimento crescente pela excelência acadêmica, pesquisa e por sua contribuição à comunidade local e ao país. Carleton University, outra importante universidade em Ottawa, oferece 65 programas de estudo e tem uma população diversa de 23 mil alunos, canadenses e internacionais.

La Cité College, Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

La Cité College, Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

Durante a tarde em que visitei a Universidade de Ottawa, pude conversar com alunos e professores brasileiros. Foi lá que conheci Rubelise da Cunha, professora da Federal do Rio Grande – FURG, onde coordena o Núcleo de Estudos Canadenses- NEC, criado em 1999, através de acordo firmado pela universidade com a Embaixada do Canadá no Brasil. “Hoje há cerca de 20 núcleos de estudos canadenses espalhados pelo Brasil ligados à Associação Brasileira de Estudos Canadenses – ABECAN. Os NEC são vinculados à pesquisa na área de estudos canadenses e à divulgação do Canadá e suas bolsas de estudo. Além disso, temos uma biblioteca bem completa e promovemos eventos e oportunidades como o Ciclo de Cinema Canadense, a publicação de livros e revistas, e a oferta de estágios a professores canadenses e brasileiros”.

Profa. Rubelise da Cunha da FURGS | University of Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

Profa. Rubelise da Cunha da FURGS | University of Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

O relacionamento da especialista em literatura indígena do Canadá com o país começou cedo, quando era aluna de graduação na URGS e foi bolsista de iniciação científica. “Vi muitas possibilidades de aproximação entre o Brasil e o Canadá. São países com uma certa posição periférica no mundo (em relação às grandes potências), com fortes raízes indígenas. Segui meu mestrado em Inglês na Federal de Santa Catarina e ganhei uma bolsa para estudar literatura indígena no Canadá. Mais tarde, durante meu doutorado na PUC – RS, fiz pesquisa na University of Western Ontario. Em 2008, voltei para meu pós-Doutorado no departamento de Inglês na Laurentian University e neste momento estou aqui em ano sabático, fazendo pesquisa em minha área e co-orientando uma doutoranda brasileira”. Rubelise, uma intercambista do conhecimento, mantém uma relação intensa com diversos acadêmicos e autores indígenas canadenses, provando a internacionalidade e ausência de fronteiras que a academia proporciona.

Native Totem no centro de Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

Native Totem no centro de Ottawa | Foto: Andrea Tissenbaum

O custo de vida em Ottawa é um dos mais baixos do país e a cidade é muito segura. Ottawa ocupa a 45ª posição no QS Best Student City Ranking 2019. Além disso, está classificada entre as top 30 no QS student view indicator. Essa pontuação, reflete não só a animada vida estudantil da cidade, como também sua diversidade e a simpatia dos seus habitantes.

Então, se você está pensando em estudar no Canadá, inclua Ottawa na sua lista. A adorável cidade é um excelente destino para quem quer estudar em instituições renomadas, com qualidade de vida.

A Tissen viajou para o Canadá a convite do Consulado do Canadá em São Paulo, entre os dias 15 e 25 de novembro de 2018. Viu tudo bem de perto e se apaixonou pelo país e suas instituições de ensino!

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no Facebook, Twitter e Instagram.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: