Música, prazer e aprendizado em todas as idades

Música, prazer e aprendizado em todas as idades

Do Colégio

18 de julho de 2016 | 12h31

Em 2007, o colégio Aprendendo a Aprender iniciou o projeto de musicalização infantil e sensibilização musical para crianças entre um ano e meio e 10 anos (do berçário lll até o 5º ano do Ensino Fundamental). Hoje o projeto já foi estendido até para os bebês a partir de 4 meses (berçário l e II), respeitando a fase de desenvolvimento de cada faixa etária.

Essa ampliação resulta do acerto da iniciativa. Além de agradar às crianças, o trabalho contribui para o desempenho dos alunos em diferentes disciplinas. “É um processo de construção do conhecimento que visa a despertar e desenvolver o gosto musical, a sensibilidade, criatividade, senso rítmico, imaginação, memória, concentração, atenção, socialização. E ajuda de forma efetiva como reforço no desenvolvimento cognitivo”, comenta a psicóloga e professora de música do Aprendendo a Aprender, Rosana Gióia.

Alunos reunidos descobrindo o som dos instrumentos. Foto: Divulgação

Alunos despertando a curiosidade pelo som dos instrumentos. Foto: Divulgação

Rosana lembra como a música tem impacto positivo na aprendizagem de disciplinas como matemática, leitura, estudo de línguas estrangeiras; e ainda amplia a atividade cerebral melhorando o desempenho de forma geral.

Os benefícios não param por aí. A musicalização é positiva na inclusão de crianças com necessidades especiais, já que é um processo de livre expressão, não existindo pressão nem cobranças de resultados. Assim, o processo com a música auxilia na desinibição e relaxamento da criança, em sua socialização e no despertar das noções de respeito e consideração pelo outro.

Nos dias da musicalização, as turmas de crianças ouvem e apreciam cantigas e danças de diversas regiões do Brasil, conhecem instrumentos de percussão, folclore, jogos e cirandas. Ou seja, informalmente e de um jeito gostoso, elas começam a apreciar os compositores clássicos e a diferenciar o som de cada instrumento da orquestra e suas famílias. Tudo porque já percebem o ritmo e podem se expressar de forma corporal.

Segundo Rosana, o objetivo desse trabalho não é formar músicos, já que os alunos realizam as tarefas de maneira alegre e descontraída. “Incentivamos as práticas musicais como um todo, não o estudo de um instrumento específico. O despertar musical na fase pré-escolar desde o berçário é uma riqueza incalculável para a formação educacional de uma criança”, completa a professora.

Cada aluno com seu instrumento para a turma. Foto: Divulgação

Cada aluno com seu instrumento e todos tocando juntos. Foto: Divulgação

A coordenadora pedagógica do colégio, Adriani Escudero Magalhães, conta que não são apenas as crianças que esperam ansiosas para a aula de musicalização. As famílias contribuem para a continuidade do processo que começa na escola. “Os pais são muito receptivos. Pedem indicação de CDs e DVDs, e as letras das músicas trabalhadas em sala de aula para que possam cantar com seus filhos em casa. Afinal, quem não gosta de música, não é? ”, conclui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.