Professor que se conhece é capaz de conhecer seus alunos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Professor que se conhece é capaz de conhecer seus alunos

Se queremos desenvolver crianças e jovens seguros de si, livres para fazer suas escolhas, firmes para encontrar as dificuldades e ter vontade de ultrapassá-las, flexíveis e abertos a colaborar, temos que ter em mente que o professor também tem que ter essas habilidades

Ana Maria Diniz

26 Maio 2016 | 19h28

Equilíbrio emocional, resiliência, empatia, otimismo, abertura a novas experiências. Eis algumas das habilidades ou competências socioemocionais, um assunto que tem dominado as discussões sobre educação. Cada vez mais, educadores e especialistas concordam que notas altas na escola não são garantia de sucesso na vida.

blog26.05

Esse consenso aparece em uma pesquisa mundial feita pela WISE – Forum for Education da Fundação Catar. Para os mais de 600 especialistas consultados, as competências pessoais assumirão, no século 21, um papel mais importante do que o conhecimento acadêmico no desenvolvimento e sucesso de crianças e jovens. Somente conhecendo suas emoções, os estudantes poderão ter segurança para pensar em soluções criativas na resolução de problemas, ter curiosidade, não ter medo de errar  – e, principalmente, fazer tudo isso de forma consciente e leve, colaborando com os colegas para maximizar os resultados.

A questão é: como é possível identificar e estimular as habilidades socioemocionais das crianças se os professores não têm consciência das próprias emoções?

Se queremos desenvolver crianças e jovens seguros de si, livres para fazer suas escolhas, firmes para encontrar as dificuldades e ter vontade de ultrapassá-las, flexíveis e abertos a colaborar e, com essas habilidades, serem capazes de seus conhecimentos técnicos de forma eficiente e assertiva, temos que ter em mente que o professor, da mesma forma, tem que ter essas habilidades..  Se ele não se conscientizar a respeito de suas emoções e dos comportamentos que decorrem delas, desenvolvendo em si as mesmas competências que esperamos que as crianças tenham, não conseguirão jamais desenvolver as crianças sob sua responsabilidade.

É exatamente nos cursos de pedagogia que esta tarefa precisa ganhar aderência, força e velocidade. Os professores precisam aprender estas habilidades fundamentais em sua formação inicial para que as dominem e adotem comportamentos produtivos a fim de orientar seus alunos nesta mesma direção.

Isso pode parecer um sonho diante da atual formação de professores neste país!  Mas ao mesmo tempo pode ser uma grande oportunidade. Este é um sonho que vale a pena ser sonhado se queremos transformar o Brasil pela educação.

Não devemos ter a ilusão de que cursos de curta duração darão conta desta tarefa; embora todo esforço seja válido no sentido de correr atrás do prejuízo, esta é uma missão muito maior. O desenvolvimento de comportamentos saudáveis e positivos deve acontecer diariamente, como um atleta que vai para a academia treinar, num treino constante; como diz o Professor John Lawrence Aber, da New York University, “um treino para toda a vida”.