Toneladas de solidariedade

Toneladas de solidariedade

Colégio Albert Sabin

28 de julho de 2021 | 14h17

Projeto Educação que Alimenta arrecada cestas básicas para famílias carentes do Jardim D’Abril.

Quase três toneladas de doações. Esse foi o resultado do projeto Educação que Alimenta, que movimentou as comunidades do Sabin e do AB Sabin numa ação de arrecadação de alimentos e itens de higiene pessoal. Transformados em cestas, 2.986 kg de donativos foram distribuídos às famílias de alunos de instituições parceiras dos dois colégios – a creche municipal Salvador Lo Turco e a Escola Municipal de Ensino Fundamental Conde Luiz Eduardo Matarazzo –, ambas no entorno do Sabin, no bairro Jardim D’Abril. “Iniciativas sociais sempre acompanharam nosso projeto pedagógico, e, nesta situação de pandemia, elas se tornaram ainda mais necessárias”, diz Patrícia Martins, produtora executiva e cultural dos colégios.

Uma das ações mais tradicionais nesse sentido, por exemplo, a Festa Junina do Sabin sempre teve sua arrecadação revertida inteiramente para instituições parceiras. “Na impossibilidade de realizar a Festa Junina neste ano, por causa do distanciamento social, buscamos outras soluções. Foi assim que nasceu o projeto Educação que Alimenta”, explica Lígia Maria Cardoso de Souza, tesoureira do Sabin e integrante do time que organiza as ações sociais do Colégio e cuida da sua logística.

A ajuda não podia chegar em hora mais crítica. Tendo atingido com mais força a população mais vulnerável, como é o caso dos moradores do Jardim D’Abril, os efeitos da pandemia não se limitam à questão sanitária, manifestando-se também em um grave cenário econômico.

Uma pesquisa realizada pela direção da creche Salvador Lo Turco junto às famílias das 141 crianças que atende mostrou que a maior necessidade era por alimento, seguido de emprego. Com 1.200 alunos, distribuídos entre o 1o e o 9o ano do Ensino Fundamental, o universo da Conde é um pouco mais diversificado que o da creche. As carências, porém, são bem parecidas. “Muitos dos nossos alunos que hoje estão tendo aulas on-line almoçavam na escola. É uma despesa que passou a pesar no orçamento familiar justamente neste momento difícil”, diz a diretora, Daiane Moraes

Com base nesses diagnósticos, o Sabin destinou as doações à creche e à escola, que realizaram a distribuição das cestas em maio, em duas etapas. Ao todo, foram beneficiadas mais de 100 famílias. Eni Heringer Oliveira, diretora da Salvador Lo Turco, diz que a ação do Sabin e do AB Sabin, somada a outras iniciativas do gênero, cobriram a necessidade de alimento das famílias cadastradas. E elogia o senso de solidariedade não só de quem doou, mas também de quem foi beneficiado. “Duas famílias que receberam as cestas nos procuraram para devolvê-las. Estavam amparadas naquele momento e faziam questão de encaminhar a ajuda a quem estivesse realmente precisando”, lembra Eni.

Daiane Moraes faz coro à colega educadora, no elogio à solidariedade. “Vivemos um momento delicado: muitos perderam emprego, renda, têm dificuldade em se manter”, diz a diretora da Conde. “Quem doa minimiza essa dificuldade. Quem doa faz a diferença”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.