Ordem e Progresso, já diziam. Logística para podermos crescer!

Estadão

16 Agosto 2010 | 19h34

Fui de férias para o Brasil e visitei São Paulo e Rio de Janeiro, fiquei surpreso com o esgotamento de capacidade da Dutra, das marginais Tietê e Pinheiros, de Alphaville, dos aeroportos, assim como dos hotéis no Rio de Janeiro, tudo ao mesmo tempo! A pressão por preço também é assustadora! Praticamente tudo no Brasil (nestas capitais pelo menos) está mais caro e pior servido do que aqui na Espanha.
.
Não é à toa que tenho visto muitas boas oportunidades de trabalho no setor em território Brasileiro. Muitos fundos de investimento começam a se formar com grande foco em infra-estrutura. Porém, ainda falta a visão de aplicação logística para o setor.
.
O mercado Brasileiro de Logística precisa superar o atual esgotamento da capacidade instalada de uma forma madura e planejada. A mão invisível de Adam Smith neste caso não poderá fazer muito e nem mesmo tão rápido quanto o Brasil precisa. Neste setor as privatizações são menos “privatizadas” do que o nome pressupõe e novos investimentos causarão maior instabilidade no sistema. Não adianta pensar em construir “mais e mais” antes de ajustar as mazelas das atuais malhas rodoviárias, ferroviárias, hidroviárias e aéreas.
.
Os investimentos com bons retornos para a iniciativa privada serão os que tiverem capacidade de gerar a otimização necessária para o setor, tanto em infra-estrutura quanto em logística e não os investimentos em concreto que têm longo tempo de retorno.
.
Fiquei com a impressão de um mercado muito aquecido no Brasil mas ao mesmo tempo com barreiras grandes para desenvolver todas as necessidades em termos de infra-estrutura e logística. O Governo infelizmente está 100% voltado para as eleições e o fôlego da iniciativa privada é grande mas temeroso. Acho que fora as empresas líderes ninguém tem ou terá pulso para tentar coisas novas e disruptivas que solucionem o problema sem precisar refazer os pilares deteriorados.