Diversidade, Diversity, Diversidad, Vielfalt, 다양성

Estadão

10 Novembro 2009 | 22h38

 A diversidade do corpo de professores e alunos do IE  se provou cada vez mais viva na a cerimônia oficial de abertura do MBA dentro de um mosteiro mediaval na cidade de Segóvia. Primeiramente  havia a ilustre presença do professor convidado Dr. Zhong-Ming WANG, um renomado atuante na área de Empreendedorismo da  Zhejing University da China. Além disso, o grupo de alunos contava com mais de 56 nacionalidades, sendo apenas 12% espanhóis.

Quem teve a curiosidade de abrir o link da  Zhejing University notou que o link não está no nosso alfabeto. Este exemplo serve para eu conseguir explicar o tamaho da diferença entre fazer negócios no “nosso mundo” ocidental e fazer negócios com a Ásia. Segundo as projeções econômicas, nove em cada dez empresas internacionalizadas terão algum relacionamento com a China nos próximos 10 anos.

Parece óbvio, não? Quando lemos um jornal há sempre a sigla BRIC e um comentário sobre o peso da China na economia mundial (caminhando para 2o. PIB mundial)  mas quem de nós, brasileiros, já esteve com alguém que fez “um negócio da China”? Normalmente poucos! Não é o caso por aqui no IE. Hoje, durante a palestra do professor WANG, cerca de 10% dos alunos confirmaram ter estado na China para negócios (descontam-se os alunos chineses!). 

Para quem está acostumado com a “Pseudo-diversidade” da nossa economia brasileira, deixo duas simples perguntas. Alguém tem idéia de como se desenvolve um negócio B2B para PMEs na China? Quem sabe o que um consumidor Chinês espera em termos de produto e serviço? Essas respostas valem Bilhões.

Mais conteúdo sobre:

BRICIEMBA