BRICs e Sustentabilidade no Financial Times.

Estadão

26 Janeiro 2010 | 22h19

Durante este mês de Janeiro foram publicados cadernos especiais sobre os BRIC e sobre Sustentabilidade no Financial Times. Aparentemente estas sao as palavras de ordem para a nova década na economia mundial.

Em todas as aulas ou seminários, é sempre a mesma retórica, como empreender nestes países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) ou como investir em Sustentabilidade nos mais diversos sentidos, mas principalmente em termos de Green Energy ou Green IT.

Dia 18 de Janeiro foram publicados no FT alguns números sobre o crescimento mundial e figura que na década de 90 a 2000 os países do bloco BRIC representavam 32% do crescimento mundial, entre 2000 e 2008 representaram 46% do crescimento mundial e as estimativas para o período entre 2008 e 2014 sao de que atinja 61% do crescimento mundial.

Infelizmente o impacto na renda per capita nao parece tao fascinante. Os países do BRIC devem atingir a uma renda próxima de 8,654 dólares americanos por habitante. Enquanto os países do G7, mesmo com a reduçao da participaçao no crescimento global, vao chegar a 45,780 dólares americanos.

Isso só confirma a observaçao de que aqui (neste caso a Europa) mesmo com crise é pelo menos 6 vezes mais “endinheirado” do que o Brasil (ou no caso do número apresentado, nos BRICs). No Brasil há a grande concentraçao de renda que pode ser um atrativo para os homens de negócio e seguramente eleva essa renda per capita a muito mais do que os 45,780 dólares americanos do G7, mas o que fazer com o resto da populaçao que tera que compor o resto da somatória para compor a linda média de 8,654 dólares?

Acho que para o nosso Brasil a palavra Sustentabilidade nao pode ter sentido menor do que social. Espero que BRIC + Sustentabilidade esteja diretamente relacionado com melhor distribuiçao de renda!