Antonio Scarpinetti/Divulgação
Antonio Scarpinetti/Divulgação

USP perde posição e Unicamp é a melhor instituição do País em ranking

Pelo 3º ano seguido, Universidade de São Paulo cai na classificação e aparece em 13º lugar entre os países do Brics

Isabela Palhares, O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2017 | 19h43

SÃO PAULO - A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) superou a Universidade de São Paulo (USP) e é a instituição brasileira mais bem avaliada no ranking da consultoria britânica Quacquarelli Symonds (QS). A classificação divulgada nesta quinta-feira, 23, coloca a Unicamp como a 12ª melhor universidade dos países emergentes, os chamados Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). 

+++ Unicamp aprova uso do Enem e cotas no vestibular

Pelo terceiro ano consecutivo, a USP caiu na classificação e aparece em 13º lugar. Em 2014, a instituição estava em 7º no ranking. Já a Unicamp se mantém na 12ª posição desde 2015. 

+++ 'A gente olha para a USP e não parece que está no Brasil', diz aluna negra aprovada em 1º lugar

O Brasil tem oito universidades entre as 50 melhores. Além de USP e Unicamp, também estão na lista Universidade Federal do Rio de Janeiro (31ª), Universidade Estadual Paulista (34ª), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (42ª), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (46ª) , Universidade Federal de Minas Gerais (47ª) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (50ª).

+++ Candidatos acham 'atual e difícil' prova da primeira fase da Unicamp

A análise incluiu o rendimento das 300 melhores universidades das cinco nações que compõem o Brics. O Brasil é o quarto com o maior número de universidades, com 61 instituições no ranking. O País fica atrás da China, que tem 94 instituições, da Rússia, com 68, e Índia, com 65.

Na lista das dez principais instituições, a China lidera com sete universidades. A Índia tem duas instituições nessa relação, e a Rússia, uma.

 

Critérios

O ranking QS é elaborado com base em oito indicadores de desempenho: reputação no meio acadêmico; no mercado de trabalho; reputação de professores; taxa de professores com doutorado; de artigos indexados por professor; citações por artigo; taxa de professores estrangeiros; e taxa de estudantes estrangeiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.