Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

USP lidera ranking de reputação acadêmica da América Latina

'Times Higher Education' elabora pela primeira vez lista das 10 universidades mais prestigiadas da região, cinco são brasileiras

Fábio de Castro, O Estado de S.Paulo

26 Maio 2016 | 01h00

SÃO PAULO - Cinco das 10 universidades mais prestigiadas da América Latina são brasileiras, de acordo com um novo ranking de reputação acadêmica da revista Times Higher Education (THE), dedicado às universidades do continente. A Universidade de São Paulo (USP) lidera a lista, divulgada nesta quinta-feira, 26. 

Uma das principais referências do mundo em medição de qualidade do ensino superior, a THE lançou pela primeira vez uma lista específica das universidades de maior prestígio na América Latina. Para produzi-la, foram consultados mais de 10 mil líderes acadêmicos em 133 países. Além da divulgação das 10 mais prestigiadas do continente, a THE promete divulgar em julho o ranking completo, incluindo outras universidades e novos indicadores.

Além de liderar o ranking continental, a USP é a única universidade da América Latina presente no ranking mundial de reputação acadêmica, divulgado pela THE em maio. Na lista mundial, no entanto, a universidade paulista caiu da faixa 51-60 para a faixa 91-100 em relação a 2015. Depois do 50º lugar, as universidades são enquadradas em grupos de dez até a 100ª posição.   

No ranking da América Latina, além da USP, aparecem a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em terceiro lugar; a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em quinto; a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em sexto; e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em nono lugar.

As demais universidades entre as 10 mais prestigiadas são a Universidade Nacional Autônoma do México, em segundo lugar; a Universidade de Buenos Aires (Argentina), em quarto; a Universidade do Chile, em sétimo; a Pontifícia Universidade Católica do Chile, em oitavo; e a Universidade Nacional da Colômbia, em décimo lugar.

Mais detalhes. O editor dos rankings da THE, Phill Baty, comemorou a presença de instituições de cinco diferentes países latino-americanos na lista.

"Esses dados recentes nos proporcionam uma visão renovada da paisagem universitária latino-americana e sugerem uma competição saudável e positiva entre as instituições emblemáticas das nações, que deve contribuir para elevar a qualidade em todos esses países e na região de modo mais amplo", disse Baty.

Segundo ele, uma classificação mais detalhada do ranking latino-americano será apresentada aos líderes universitários na cúpula de universidades americanas Times Higher Education Latina, que será realizada em julho, na Universidade Antonio Nariño, em Bogotá, na Colômbia.

Baty afirmou que a lista das dez melhores universidades é puramente baseada em uma pesquisa de opinião e, embora ofereça percepções importantes sobre as reputações globais de excelência em ensino e pesquisa das universidades, a análise dos dados ainda produzirá mais indicadores relevantes.

"A THE, enquanto autoridade mundial em desempenho universitário, é capaz de empregar um leque muito mais amplo de indicadores para obter uma imagem mais nítida da excelência acadêmica na América Latina", afirmou Baty.

Ele declarou ainda que a versão mais completa do ranking, que será divulgada em julho em Bogotá, empregará um leque mais amplo de indicadores, que inclui métricas de pesquisa, ensino, transferência de conhecimento e perspectiva internacional. 

"Mais importante, no entanto, é que a cúpula testemunhará o início de uma consulta ampla com líderes do setor sobre como a THE deverá elaborar um novo e específico ranking de universidades latino-americanas, definido de acordo com as missões e prioridades das universidades na região", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.