USP decide fechar os três escritórios da instituição no exterior

Decisão foi motivada pela crise financeira da universidade e por ajustes no programa de internacionalização

O Estado de S. Paulo

30 Julho 2014 | 20h04

SÃO PAULO - O reitor da Universidade de São Paulo (USP), Marco Antonio Zago, fechou os três escritórios da instituição no exterior, abertos no começo do ano passado. Os núcleos de internacionalização ficavam em Boston, nos Estados Unidos, Londres, na Inglaterra, e Cingapura. A decisão foi motivada pela crise financeira da instituição, que gasta quase toda a receita com salários, e ajustes no programa de internacionalização.

A rede de escritórios, que também tinha um núcleo em São Paulo, foi um programa-piloto iniciado pelo ex-reitor João Grandino Rodas. A previsão era de que durasse até janeiro deste ano, com possibilidade de prorrogação por mais quatro anos, a depender do aval da nova gestão. 

O custo estimado dos núcleos internacionais, criticados por vários professores e sem resultados expressivos, era de R$ 400 mil anuais. Zago prefere apostar no intercâmbio de docentes e pesquisadores. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.