USP debate novas formas de ingresso a partir desta semana

O pró-reitor de graduação da USP afirmou, em entrevista ao 'Estado', que mudanças na forma de ingresso podem passar a valer já para a Fuvest 2016

Entrevista com

Antonio Carlos Hernandes

Bárbara Ferreira Santos, O Estado de S. Paulo

30 Setembro 2014 | 03h13

 O pró-reitor de graduação da USP, Antonio Carlos Hernandes, diz que as unidades da universidade vão discutir, a partir desta semana, os novos mecanismos de entrada na instituição. A universidade cogita destinar parte das vagas de graduação para o ingresso por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou até mesmo de olimpíadas escolares. 

As faculdades e os institutos terão até novembro para apresentar suas propostas à pró-reitoria. O processo será levado, depois, à comissão de graduação e ao Conselho Universitário da USP, órgão máximo da instituição. Se as mudanças forem aprovadas até junho de 2015, podem ser adotadas já para a Fuvest 2016, diz Hernandes. 

A seleção passaria a ser com a Fuvest e com outro mecanismo?

Exatamente. A ideia não é trocar a Fuvest por outra coisa. E será um projeto de mudança gradual, que começa em 2016. 

Que outros mecanismos estão sendo cogitados além do Enem e de olimpíadas? 

A outra forma que apareceu é a questão das cotas sociais (reserva de vagas para entrada por critério socioeconômico). Não é a bonificação que existe hoje para escola pública e que vai continuar na Fuvest. Mas os mecanismos ainda estão sendo discutidos. A universidade pode decidir que será só a Fuvest.

Se o novo sistema for aprovado, um mesmo aluno poderia tentar a vaga duas vezes, com o Enem e com a Fuvest? 

A gente ainda vai ter de ver como vai ser feito. Como os exames são separados, a princípio sim, não haveria impedimento.

Mais conteúdo sobre:
Fuvest USP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.