USP aprova mudanças na progressão da carreira docente

Aprovada em 2009, a estrutura básica da carreira ainda não havia sido regulamentada

Estadão.edu

29 Junho 2011 | 10h49

O Conselho Universitário (CO) da USP aprovou nesta terça-feira, 28, a avaliação por pareceristas para a progressão horizontal dos docentes na carreira. Serão instituídas uma Comissão Central de Avaliação para Progressão de Nível na Carreira Docente (CCAD) e Comissões Setoriais Temáticas, responsáveis pelo novo sistema de avaliação dos professores.

 

A progressão no nível da carreira docente resultará em acréscimo salarial, com variação nos porcentuais, de acordo com o nível. Assim como estabelecido para o novo plano de carreira dos servidores técnicos e administrativos, aprovado pelo CO em maio, a Comissão de Orçamento e Patrimônio incluirá na proposta orçamentária, anualmente, dotação destinada ao atendimento das despesas com a carreira docente.

 

A estrutura básica da carreira foi aprovada pelo CO em março de 2009, com o estabelecimento de seis etapas — Professor Doutor 1, Professor Doutor 2, Professor Associado 1, Professor Associado 2, Professor Associado 3 e Professor Titular. No entanto, embora já incorporada ao estatuto da universidade, a forma de avaliação para a progressão horizontal ainda não havia sido regulamentada.

 

Durante a sessão, conselheiros apontaram alguns destaques em relação ao modelo de avaliação aprovado, que voltarão a ser discutidos na reunião do CO marcada para 5 de julho. (Com informações da Reitoria da USP)

Mais conteúdo sobre:
USP Professor Universidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.