Unicamp cobra textos sobre pessimismo e bebidas alcoólicas e candidatos reclamam

Para alunos, temas foram 'supérfluos' e 'fora de contexto'; prova também teve 48 questões objetivas

Ricardo Brandt, da Agência Estado,

11 Novembro 2012 | 18h21

Terminou às 18h deste domingo, 11, a primeira fase do vestibular da Unicamp. Candidatos ouvidos pela reportagem criticaram os temas das duas redações cobradas pela prova: um texto dissertativo sobre pessimismo e uma carta sobre o consumo de bebidas alcoólicas. Os 67.403 estudantes inscritos também precisaram resolver 48 questões de múltipla escolha.

 

"Achei os temas despropositados", disse a estudante Silvia Monte Alto, de 16 anos, que está prestando para Arquitetura e fez a prova no Liceu Nossa Senhora Auxiliadora, em Campinas. A candidata de Engenharia da Computação Alessandra Vieira, de 18, saiu com opinião semelhante. "As redações estavam fora de contexto."

 

Vestibulanda de Economia, Thais Haddad, de 17, disse que se surpreendeu com os temas, segundo ela, "supérfluos". "E eu achava que me daria bem, pois sou boa em redação."

 

Sobre a parte objetiva do exame, o candidato de Engenharia Mecânica Rafael Henrique, de 17, disse que não gostou das questões de história. "Para mim, foi complicado porque caiu muitos temas da história do Brasil", afirmou o estudante, mais um que não gostou das redações.

 

 

A lista de aprovados para a segunda fase do vestibular, que ocorre em janeiro, será divulgada em 21 de dezembro. Estão em disputa 3.444 vagas em 68 cursos da Unicamp e 2 da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto.

 

O exame foi aplicado em 20 cidades do País: Bauru, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Fortaleza, Jundiaí, Limeira, Mogi-Guaçu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Salvador, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba e Sumaré.

 

* Atualizada às 18h35

Mais conteúdo sobre:
Unicamp Vestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.