Bruno Muniz/Diário de Assis-27/10/2010
Bruno Muniz/Diário de Assis-27/10/2010

Unesp suspende por apenas 5 dias envolvidos em 'Rodeio das Gordas'

Relatório diz que depoimentos 'não permitiram configurar circunstâncias' que caracterizaram as agressões como a alunas obesas como 'Rodeio das Gordas'

Estadão.edu

16 Dezembro 2010 | 16h51

Dois estudantes do câmpus da Unesp em Assis serão suspensos por cinco dias de suas atividades acadêmicas por terem associado o nome da universidade a conteúdo publicado na internet que discriminava e ofendia a integridade de alunas participantes do InterUnesp. Esta foi a pena imposta pela comissão disciplinar criada para apurar o "Rodeio das Gordas" - nos jogos universitários realizados entre os dias 10 e 13 de outubro em Araraquara, estudantes obesas foram agarradas e humilhadas por colegas, que montavam em cima delas, simulando um rodeio.

 

Em nota, a direção da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp em Assis afirmou que os depoimentos prestados por alunos e alunas envolvidos "não permitiram configurar as circunstâncias que diversos veículos de imprensa e websites caracterizaram como sendo o chamado 'Rodeio das Gordas'".

 

A pena imposta aos dois alunos, um de Engenharia Biotecnológica e outro de Ciências Biológicas, deverá ser cumprida em março de 2011. A decisão se fundamentou no relatório da comissão processante, apresentado na tarde desta quinta-feira, 14, à Congregação da faculdade, que é seu órgão colegiado superior. Os trabalhos começaram no dia 28 de outubro e terminaram no último dia 9.

 

O Ministério Público Federal em São Paulo também está investigando os fatos ocorridos em Araraquara. Segundo a faculdade, o processo disciplinar é independente do inquérito civil aberto pelo MPF, "mas não exclui a possibilidade de novos indiciamentos, dependendo das conclusões da Promotoria".

 

A Unesp ressaltou que seu regimento a impede de aplicar penalidades referentes a atos praticados fora de suas dependências. No entanto, disse que a comissão processante avaliou que houve "ato atentatório à integridade física e moral de pessoas", o que, no regimento, é caracterizado como infração disciplinar. "A infração, portanto, consistiu na divulgação, pela internet, de conteúdo inadequado envolvendo o nome da universidade, o que exige sanção administrativa, mesmo que essa publicação eletrônica tenha ocorrido no dia 14 de outubro, ou seja, dois dias após o encerramento do InterUnesp 2010", afirma a nota da universidade.

 

No dia da instauração do processo disciplinar, a Congregação da faculdade aprovou moção de repúdio "a atos discriminatórios no âmbito da universidade". Em reunião no dia 2, o órgão colegiado deliberou a realização de "medidas de conscientização e de caráter pedagógico voltadas ao fortalecimento dos direitos humanos e da construção de valores éticos no âmbito da Universidade desde o ingresso dos alunos na instituição".

 

Agora, a Reitoria da Unesp promete submeter ao Conselho Universitário, no início de 2011, proposta de resolução para disciplinar o uso do nome da instituição em eventos e outras iniciativas realizadas por outras entidades, mesmo quando realizados fora das dependências da universidade.

 

Na nota, a Unesp reitera seu repúdio a "qualquer tipo de discriminação e desrespeito à dignidade e à integridade física e moral humanas" e ressalta a "necessidade do cumprimento das normas do Estado de Direito na apuração de responsabilidades". A universidade diz que sua Ouvidoria Geral continua à disposição para receber informações sobre eventuais envolvimentos de alunos em atos relacionados ao processo disciplinar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.