Divulgação
Divulgação

Teste para gestores, GMAT é pré-requisito das escolas de negócios

Exame internacional aplicado em inglês mede capacidade de raciocínio e decisão do candidato a uma vaga em curso de MBA

Juliane Freitas, O Estado de S. Paulo

26 Março 2015 | 20h31

O exame do GMAT é um dos requisitos para ingressar na maioria dos cursos de MBA no exterior. Mais de 5,6 mil programas de 1,5 mil universidades em 110 países usam a prova como critério de admissão de seus alunos, segundo dados da Graduate Management Admission Council, que organiza o teste.

Para participar de um processo de admissão é preciso já ter feito a prova, aplicada no Brasil e de forma online em rede credenciada.

O teste é cansativo. Pensado para avaliar a capacidade de raciocínio lógico e resolução de problemas do candidato que vai estudar gestão, ele leva cerca de quatro horas para ser concluído e exige um período prévio de preparo.

"O tempo de estudo para o GMAT é relativo, depende do candidato. Mas se o estudante separar duas horas por dia para se preparar, em cerca de quatro a seis meses estará pronto para fazer uma ótima prova", analisa a consultora da MBA House Hemille Carvalho.

O GMAT é composto por duas análises escritas, 12 questões de raciocínio envolvendo gráficos e tabelas, 37 de resolução de problemas e mais 41 de compreensão de leitura e raciocínio crítico. Um detalhe importante: é aplicado em inglês.

Outro item de dificuldade, que pode aumentar ou diminuir a nota do aluno, é que o exame se adapta ao desempenho do próprio candidato, utilizando as respostas das perguntas anteriores para escolher as seguintes. Ou seja, se o aluno está indo bem na resolução de questões complicadas, a prova ficará mais difícil. Pelo outro lado, se errar muito o exame acabará ficando fácil demais, diminuindo a nota geral, que varia de 200 a 800.

"Para garantir a entrada em uma instituição renomada exige-se uma nota aproximada de 690. Tem de ter muito foco", diz Hemille. Ela acredita, no entanto, que é possível superar a dificuldade das questões com concentração e treino. "Os simulados são importantes. A prova não é tão complicada. Uma das maiores dificuldades é realizá-la em tão pouco tempo."

O GMAT não deve ser motivo de desespero, no entanto, pois não será a nota obtida que garantirá, sozinha, o ingresso ou não em uma grande escola de negócios. A qualidade do currículo, da carta de apresentação e da entrevista pesam mais no processo de admissão.

É possível consultar os períodos e locais de prova do GMAT no Brasil pela internet. A inscrição custa US$ 250 e é preciso esperar um mês para fazer o teste novamente, caso a nota não seja satisfatória. A pontuação é válida por cinco anos.

Mais conteúdo sobre:
MBA GMAT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.