Soraya Smaili toma posse da reitoria da Unifesp

Nova reitoria promete providenciar condições de infraestrutura e espaços físicos adequados

Paulo Saldaña, de O Estado de São Paulo,

26 Fevereiro 2013 | 10h53

A professora Soraya Smaili tomou posse da reitoria da Unifesp na manhã desta terça-feira, 26, em solenidade ocorrida no câmpus de São Paulo, na zona sul da capital. A professora é a primeira mulher e não médica a ocupar o cargo.

Soraya substitui o professor Walter Albertoni, que ocupava a reitoria desde 2009. Em seu discuso de posse, ela agradeceu a transição harmônica e dialogada com a antiga gestão. "Nossa administração será marcada pela escuta, pelo diálogo e pela resposta concreta", disse.

A nova reitora assume a Unifesp com 9 mil estudantes, divididos por 6 câmpus, muitos dos quais com desafios de infraestrutura como é o caso de Guarulhos. Soraya, entretanto, promete providenciar condições de infraestrutura e espaços físicos adequados.

Como meta para seus 100 primeiros dias no cargo, ela ressaltou que vai promover uma reforma no setor administrativo, de modo a permitir  a descentralização administrativa e orçamentária, transparência e também capacidade de gestão financeira. Soraya afirma ainda que pretende aumentar a visibilidade e representatividade dos diferentes segmentos e campos de conhecimento da universidade.

A nova reitoria venceu a eleição no final do ano passado com uma chapa que surgiu do movimento 'Unifesp Plural e Democrática', que reuniu professores, servidores e alunos. No pleito estavam também outros dois candidatos.

Soraya é formada em Farmácia-Bioquímica pela USP e mestre, doutora e livre docente em Farmacologia pela Unifesp. A nova reitora possui também pós-doc em Biologia Celular na Universidade Thomas Jefferson, na Filadélfia, e outro em Neurociência e Morte Celular no Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, em Bethesda (Maryland)

Docente desde 1992, a reitora já foi diretora do Sindicato Nacional dos Professores (Andes), além de presidente da Associação dos Docentes da Unifesp.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.