Sono, corpo curvado e outros sintomas podem ser problemas de aprendizado

'Manual Básico de Estudo' dá dicas de como detectar e combater o tédio na sala de aula

Carolina Stanisci, Especial para o Estadão.edu

27 Julho 2010 | 19h29

Corpo curvado, bocejos e irritação nos olhos. Todos os professores já depararam com um aluno assim em sala de aula. Segundo o livro "Manual Básico de Estudo", de L. Ron Hubbard, que será lançado na Bienal Internacional do Livro em São Paulo em agosto, esses sintomas não são só de tédio - eles revelam problemas de aprendizado.

 

A boa notícia para docentes, pais e alunos é que, ao detectar os sintomas, o professor pode, digamos assim, curá-los. "O Hubbard sempre pesquisou a mente e o comportamento humano. E ele notou que as crianças tinham sintomas físicos quando estavam estudando", diz Lucia Winther, presidente da Ponte do Brasil, editora que lançará a publicação.

 

No livro, o autor, que é educador e físico e morreu em 1986, explica como detectar os sintomas e vencer determinadas barreiras. Para Hubbard, a criança tem três barreiras ao estudo: sente falta do concreto, pula etapas do aprendizado e tem pouca compreensão das palavras. 

 

"O aluno ouve a expressão 'o berço do frevo é Pernambuco' e não consegue entender, porque para ele o berço é a cama para dormir", exemplifica Lucia. Para cada uma das barreiras, o autor sugere uma técnica, a qual está descrita no manual.

 

"O professor pode identificar o sintoma e saber do que se trata. Porque não adianta ele olhar a criança deitada na carteira e dizer 'senta direito'. Ele só está brigando com um sintoma que indica a não-compreensão." O livro também fala da importância do dicionário para aumentar o vocabulário e dá sugestões de como usá-lo.

 

 

Mais conteúdo sobre:
tédio em sala de aula manual

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.