Sindicato diz que 500 mil universitários estão sem aulas

Paralisação já tem adesão de 41 universidades federais; pelo menos 30 mil docentes estão em greve

21 Maio 2012 | 19h20

O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), divulgou nesta segunda-feira, 21, que o número de universidades que aderiram à paralisação dos professores já chega a 41. Se forem consideradas as seções sindicais distintas, já são 44 instituições em greve. Isso porque os câmpus da Universidade Federal de Campina Grande e da Universidade Federal do Mato Grosso não possuem sindicatos centralizados. Segundo o órgão, cerca de 500 mil alunos já estão sem aulas.

Na próxima terça-feira, 22, os docentes da Unifesp se reunirão em assembleia geral e provavelmente irão deflagrar uma paralisação por tempo indeterminado. O câmpus de Diadema já está em greve desde a última quinta-feira, 17, e os da Baixada Santista e de São Paulo já têm indicativos de adesão.

 

Os docentes pedem a reestruturação do plano de carreira e melhoria das condições de trabalho nos novos câmpus que foram criados nos últimos anos por meio do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni).

O comando de greve da Andes informou que o atual plano de carreira não permite crescimento satisfatório do professor ao longo da carreira. O sindicato informou ainda que foram feitas mais de dez reuniões com o Ministério do Planejamento para revisão do documento, mas não houve avanço na negociação.

Questionado pelo Estadão.edu, o Ministério da Educação (MEC) disse não ter um posicionamento atualizado quanto à greve que se espalha pelo País. Mantém a nota divulgada na última sexta-feira, 18, dizendo que tem confiança no diálogo e no zelo pelo regime de normalidade das atividades dos câmpus universitários federais. O governo ressalta que o aumento de 4% negociado em 2011 está garantido por medida provisória assinada no dia 11 de maio. O aumento será retroativo a março, conforme previsto no acordo firmado com os sindicatos.

   

Abaixo, a lista atualizada com as universidade que já aderiram à greve:

      

Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Universidade de Brasília (UnB)

Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA)

Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG)

Universidade do Reconcavo da Bahia (UFRB)

Universidade Vale do Saõ Francisco (UNIVASF)

Universidade Federal de Goiás (campus de catalão)

Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Universidade Federal do Acre (UFAC)

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio)

Universidade Federal do Amazonas (ADUA)

Universidade Federal de Roraima (SESDUF-RR)

Universidade Federal Rural do Amazonas (ADUFRA)

Universidade Federal do Pará /Central (ADUFPA)

Universidade Federal do Pará /Marabá (SINDUFPA-MAR)

Universidade Federal do Oeste do Pará (SINDUFOPA)

Universidade Federal do Amapá (SINDUNIFAP)

Universidade Federal do Maranhão (APRUMA)

Universidade Federal do Piauí (ADUFPI)

Universidade Federal do Semi-Árido (Mossoró) (ADUFESA)

Universidade Federal da Paraíba (ADUFPB)

Universidade Federal de Campina Grande / Patos (ADUFCG-PATOS)

Universidade Federal da Campina Grande / Cajazeiras (ADUC)

Universidade Federal de Campina Grande (ADUFCG)

Universidade Federal Rural de Pernambuco (ADUFERPE)

Universidade Federal de Alagoas (ADUFAL)

Universidade Federal de Sergipe (ADUFS)

Universidade Federal do Triângulo Mineiro (ADFMTM)

Universidade Federal de Uberlândia (ADUFU)

Universidade Federal de Viçosa (ASPUV)

Universidade Federal de Lavras (ADUFLA)

Universidade Federal de Ouro Preto (ADUFOP)

Universidade Federal de São João Del Rey (ADFUNREI)

Universidade Federal do Espírito Santo (ADUFES)

Universidade Federal do Paraná (APUFPR)

Universidade Federal do Rio Grande (APROFURG)

Universidade Federal do Mato Grosso (ADUFMAT)

Universidade Federal do Mato Grosso / Rondonópolis (ADUFMAT-ROO)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (ADUR-RJ)

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (SINDFAFEID)

Universidade Tecnológica Federal do Paraná (SINDUTF-PR)

Instituto Federal do Piauí (SINDCEFET-PI)

Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (SINDCEFET-MG)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.