Sindicato de docentes federais decide manter greve

Comando de greve deve promover nova rodada de assembleias ao longo desta semana

Estadão.edu,

03 Setembro 2012 | 10h12

O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) resolveu dar continuidade à greve dos professores de universidades federais. A decisão foi tomada em assembleia realizada no fim da semana passada.

A greve começou no dia 17 de maio e atualmente atinge 48 universidades e 32 institutos tecnológicos. Professores de oito universidades que tinham aderido ao movimento saíram da greve: UFRJ, UFSCar, UFC, Unilab, UnB, UFRGS, UFCSPA e UFSC.

Os professores universitários federais ligados ao sindicato não aceitaram a última proposta feita pelos Ministérios da Educação e do Planejamento, que prevê reajustes entre 25% e 40% nos próximos três anos e redução do número de níveis de carreira de 17 para 13.

Representantes do comando de greve devem fazer uma rodada de assembleias gerais entre esta segunda-feira, 3, e quinta-feira, 6. De acordo com o comunicado divulgado pelo órgão, as reuniões visam a debater a suspensão da greve. Os professores desejam também se reunir com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

Na última contraproposta, o Andes afirmou que abriria mão do aumento salarial para que fosse discutida a reestruturação da carreira. O MEC, no entanto, afirmou que não voltaria a negociar, alegando que o acordo firmado com outro sindicato representante dos docentes, o Proifes, já atendia a todos os professores. Na sexta-feira, 31, o Planejamento encaminhou ao Congresso Nacional o projeto de orçamento para o ano de 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.