Reunião sigilosa marca início de correção de redações do Enem

40 especialistas se encontram em Brasília a portas fechadas para discutir o tema da prova deste ano, que enfocou publicidade infantil

Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

12 Novembro 2014 | 11h19

BRASÍLIA - Um grupo de 40 especialistas, entre coordenadores pedagógicos e coordenadores estaduais envolvidos na execução do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), reúne-se a partir desta quarta-feira, 19, em Brasília, a portas fechadas, para discutir o tema da prova deste ano, que enfocou a publicidade infantil. Nesta quinta-feira, 20, haverá outra reunião para retomar as discussões.

O objetivo da reunião é estudar o tema em profundidade, discutir as possibilidades do assunto e já selecionar uma amostra de redações que servirão de modelo para o processo de avaliação. No final de semana, os coordenadores viajam para diversas capitais brasileiras, onde farão um treinamento similar com os supervisores das redações.

Depois disso, os supervisores realizam um intensivo com os corretores, que já tinham recebido treinamento antes da divulgação do tema da redação. Segundo o Estado apurou, o conjunto total de redações dos candidatos deverá ser corrigido a partir do dia 24 de novembro.

O tema da redação deste ano - publicidade infantil no País - foi bem recebido pela equipe de especialistas, que considerou que o assunto pegou o aluno de "surpresa" e proporciona a discussão de várias questões oportunas, como a ética no marketing, a formação da criança, a cultura da sociedade de consumo e a liberdade de expressão.

Certificação. Pela primeira vez na história do Enem, os supervisores que vão atuar no processo de correção das redações passaram por um processo de certificação, que funciona como um "selo de qualidade". 

O processo envolveu a aplicação de um curso online e a realização de uma prova presencial, na qual os próprios profissionais tiveram de escrever textos, como se fossem alunos do Enem. Até então, os avaliadores eram escolhidos a partir de indicações de universidades federais e secretarias de Educação.

Em agosto deste ano, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou à reportagem do Estado que 677 pessoas foram aprovadas na capacitação para supervisionarem a correção das redações.

O presidente do Inep, José Francisco Soares, já disse que a ideia do governo é que, futuramente, "só vai corrigir redação do Enem quem tiver sido certificado".

Conforme revelou o Estado, cerca de 12% dos corretores de redação foram dispensados durante o processo de correção das redações do Enem 2013 por não apresentarem o desempenho exigido pelo Inep - uma nota de desempenho superior a 7, em uma escala de 0 a 10. 

As notas aplicadas pelos corretores eliminados foram desconsideradas e as provas corrigidas por eles retornaram ao sistema, sendo corrigidas por outros corretores. Neste ano, com a certificação dos supervisores, o rigor do Inep será ainda maior.

Mais conteúdo sobre:
Enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.