Assine o Estadão
assine

Educação

Exame Nacional do Ensino Médio

Resultado do Enem está disponível para consulta

Edição deste ano registrou candidato com a maior nota da história em matemática; consulta pode ser feita no site do Inep

0

08 Janeiro 2016 | 18h14

SÃO PAULO - Os resultados individuais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 já estão disponíveis para consulta no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame. Para ter acesso às notas, o candidato precisa informar o CPF e a senha cadastrada no ato da inscrição. 

A grande quantidade de acessos no site provocou lentidão na página. No entanto, o Inep afirmou que o site está em funcionamento e recomendou as candidatos que reiniciem o navegador para que consigam o acesso. 

De acordo com o Inep, o destaque da prova deste ano foi o desempenho dos candidatos em matemática. Neste ano, um dos candidatos registrou a maior nota da história na disciplina, com 1.008,3 pontos. Na edição do ano passado, a maior nota foi de 973,6 pontos. A segunda maior nota registrada foi na prova de ciências da natureza (875,2 pontos), seguido pela de ciências humanas (850,6) e de linguagens (825,8).

Os resultados para os candidatos que prestaram a prova como treineiros, ou seja, que só irão concluir o ensino médio após 2015, serão divulgados em março para fins exclusivos de autoavaliação de conhecimentos. As provas do Enem são corrigidas com base na teoria de resposta ao item (TRI), diferente da teoria clássica, pela qual o número de acertos corresponde à média final. 

No Enem, os itens de múltipla escolha são pré-testados e classificados em fáceis, médios e difíceis, com pontuações diversas em uma escala de 0 a 1.000. As notas mínimas e máximas que o estudante pode ter em cada prova, porém, não são 0 e 1.000, mas variam a cada ano segundo calibragem feita pelos elaboradores do exame. Como a TRI pressupõe que um candidato com um certo nível de proficiência tende a acertar os itens de nível de dificuldade menor e errar aqueles com nível de dificuldade maior, o padrão de respostas do participante é levado em consideração no cálculo do desempenho.

Com o cálculo dessa forma, não há um limite, inferior ou superior, para as notas. Por isso, elas podem ultrapassar os mil pontos. De acordo com Mateus Prado, especialista em Enem, a nota de matemática historicamente mais alta e bem superior à registrada no ano passado mostra que, em geral, os candidatos tiveram um desempenho pior na prova do que no ano passado. "Quanto mais alta a nota, menor é o rendimento médio dos demais candidatos. Aumentou o distanciamento na prova [entre o desempenho dos candidatos]. Isso nós já tínhamos previsto devido à escolha das questões da prova, que tiveram menos perguntas classificadas como médias", disse.

No entanto, Prado diz que o aumento da nota máxima em matemática não deve ter impactos significativos na nota de corte para ingresso nas universidades. "O aumento da nota de matemática se dispersa já que o Sisu vai oferecer 20 mil vagas a mais neste ano. De uma forma geral, o nível da prova foi mantido", disse. 

Opções. Com a nota do exame, uma das opções é tentar vagas em instituições públicas de ensino superior, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). As inscrições em universidades pelo Sisu começam na segunda-feira, 11, com 228 mil vagas em 131 instituições. O candidato pode consultar as cadeiras disponíveis pelo site

O estudante de baixa renda também pode tentar uma vaga na educação superior por meio do programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudos em instituições particulares de educação superior. O resultado do exame ainda é requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e participar do programa Ciência sem Fronteiras. 

Outra opção é ingressar em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Para pessoas maiores de 18 anos, o Enem pode ser usado ainda como certificação do ensino médio.

 

 

publicidade

Comentários