Reitores das estaduais propõem nova data para negociação salarial

Professores e funcionários de USP, Unicamp e Unesp cruzaram os braços contra o reajuste zero

O Estado de S. Paulo

11 Junho 2014 | 15h33

SÃO PAULO - O Conselho de Reitores das Universidades Estaduais de São Paulo (Cruesp) propôs às entidades sindicais de professores e funcionários agendar nova reunião para negociar o reajuste salarial na próxima sexta-feira, 13. As categorias estão em greve há três semanas por causa do congelamento de remunerações proposto pelos reitores neste ano.

O fórum de entidades sindicais ainda não deu resposta ao conselho. Na semana passada, o Cruesp sinalizou a reabertura de negociações desde que os grevistas não fizessem piquetes ou manifestações violentas. Os sindicatos criticaram as condições impostas pelos reitores, mas aceitaram retomar o diálogo. Eles reivindicam aumento de 9,78%.

Nessa terça-feira, 10, professores, funcionários e alunos das três universidades fizeram um ato em frente ao prédio da administração central da USP, no câmpus Butantã, zona oeste da capital. Eles protestaram contra a decisão de reajuste zero dos reitores, motivada, principalmente, pela grave crise financeira da USP, que gasta 105% das suas receitas com a folha de pagamento.

Mais conteúdo sobre:
usp unesp unicamp greve nas universidades

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.