PUC-SP não preenche 690 vagas e deixa 9 cursos sem novas turmas

Além disso, problemas na matrícula impediram o início das atividades da graduação em Economia

Carlos Lordelo, do Estadão.edu,

09 Fevereiro 2012 | 21h31

SÃO PAULO - A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) não conseguiu compor novas turmas de 17 cursos neste semestre, cujas aulas começaram na segunda-feira. As classes não atingiram o número mínimo de alunos estabelecido pela instituição. Ao todo, as carreiras ofereciam 690 das 4.935 vagas do último vestibular.

 

Nove cursos não abriram nenhuma turma, entre eles Letras (Espanhol e Francês), Matemática (licenciatura), Fisioterapia e Fonoaudiologia. As outras oito carreiras formaram ao menos uma classe de calouros, como Filosofia, Pedagogia e Ciências Contábeis.

 

Além disso, problemas no sistema de matrícula impediram o início das atividades de pelo menos uma graduação, a de Economia, conforme o Estadão.edu mostrou ontem. A coordenação do curso informou nesta quinta-feira, 9, que está “ajustando horários”. “Se houver tempo suficiente, amanhã as aulas retornam. Se não, voltam na segunda-feira, sem problemas”, disse o diretor da Faculdade de Economia, Administração, Contábeis e Atuariais, Juarez Belli. Segundo ele, os alunos seriam avisados. A mensalidade custa R$ 1,5 mil.

 

A situação da universidade preocupa a Associação dos Professores (Apropuc), que vê na não abertura de turmas a perspectiva de redução de contratos e até mesmo demissões.

 

Para a presidente da entidade, Maria Beatriz Abramides, é preciso “desenvolver políticas” para viabilizar cursos de baixa procura. “A PUC deveria repensar o valor das mensalidades, a divulgação do vestibular e esperar o resultado de outros processos seletivos para complementar vagas”, diz. “Hoje temos um quadro bastante incerto. Não sabemos onde vamos dar aula e que tipo de contrato teremos.”

 

Remanejamento

 

Nesta quinta-feira, o reitor Dirceu de Mello reuniu-se com diretores de três faculdades, entre elas a FEA, que contestaram o fechamento de turmas e disciplinas em razão do número de alunos matriculados. Segundo a Assessoria de Imprensa da universidade, “questões pontuais” foram resolvidas “de maneira satisfatória para todas as partes”. Para a Reitoria, o tema está “superado”.

 

Em relação aos problemas no sistema de matrículas, a PUC reconhece que enfrenta “questões tecnológicas” todo início de semestre em função da mudança do sistema.

 

A Reitoria diz ainda que o fechamento de turmas de calouros ocorreu em “respeito ao projeto pedagógico elaborado pelas próprias faculdades e aprovado nos conselhos superiores da PUC”. Por fim, afirma que está estudando “novas regras” para alguns cursos, para possibilitar a abertura de novas classes. “As novidades estão em fase de estudos e devem ser apresentadas para o próximo vestibular de inverno.”

 

CURSOS E TURMAS DE CALOUROS FECHADAS

 

Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes

Arte: História, Crítica e Curadoria (mat.)

Filosofia Licenciatura (mat.)

Filosofia Bacharelado (mat.)

Espanhol Licenciatura (not.)

Francês Licenciatura (not.)

 

Faculdade de Economia, Administração, Contábeis e Atuariais

Contábeis (not. no câmpus Ipiranga)

Tecnológico em Marketing (not.)

Estatística (not.)

Tecnológico em Gestão Ambiental (not.)

 

Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia

Física Bacharelado (not.)

Física Licenciatura com ênfase em Física Médica (not.)

Matemática Licenciatura (not. presencial)

 

Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde

Fisioterapia (mat.)

Fonoaudiologia (mat.)

 

Faculdade de Educação

Pedagogia (not. no câmpus Ipiranga)

 

Faculdade de Ciências Sociais

Serviço Social (mat.)

 

Faculdade de Teologia

Teologia (not. no câmpus Ipiranga)

Teologia (not. no câmpus Santana)

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
PUC Economia Ensino superior

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.