Província argentina dá US$ 1,2 mil a alunos que completarem a escola

Só serão recompensados alunos que completarem o ensino médio; medida engloba 130 mil estudantes

Marcia Carmo, BBC Brasil

01 Setembro 2011 | 12h22

A província argentina de San Luis começou a pagar uma recompensa de US$ 1,2 mil a alunos de escolas públicas e privadas que completarem o segundo grau. A medida engloba um total de 130 mil estudantes. O texto foi aprovado pela Assembleia Legislativa de San Luis e entrou em vigor este ano.

"Foi a forma original que encontramos para incentivá-los a não repetir de ano ou a deixar os estudos", disse o secretário de Educação de San Luis, Marcelo Sosa.

Nesta semana, os primeiros 2,5 mil estudantes de segundo grau que vão concluir os estudos em dezembro receberam a recompensa. Outros 1,5 mil alunos que repetiram de ano não foram habilitados para receber o prêmio, contou o secretário. Terão de buscar a aprovação no ano que vem para receber a recompensa.

O dinheiro foi pago na moeda americana, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Educação.

O dólar é tradicionalmente a moeda que os argentinos costumam usar na hora de poupar ou comprar imóveis, por exemplo.

COMBATE À EVASÃO

Pelo esquema do governo de San Luís, ao longo dos seis anos de primário e seis anos de segundo grau, os alunos recebem uma espécie de selos correspondentes aos anos aprovados.

Por cada ano escolar aprovado no primário, o aluno soma US$ 50. Por cada um dos cinco primeiros anos aprovados no secundário, US$ 100. Ao fim do sexto ano do secundário, outros US$ 400.

"No total, de 12 anos de estudos, ele terá US$ 1,2 mil", disse o secretário Sosa. Embora o programa permita que os alunos recebam a quantia proporcionalmente aos anos concluídos, a finalidade é incentivar os alunos a completar o ciclo escolar e evitar a repetência.

Segundo o secretário, a partir deste ano os formandos recebem o dinheiro como se tivessem acumulado os "pontos" de forma retroativa.

Os primeiros a receber os selos fizeram fila até de madrugada para trocar as estampas por dinheiro. "Os alunos que receberam (o dinheiro) estavam muito contentes. Uns planejavam comprar algum instrumento musical, outros, pagar a viagem de formando, que geralmente é feita em setembro, e outros simplesmente querem guardar para algum empreendimento ou para a matricula na faculdade", disse Marcelo Sosa.

CUSTO-BENEFÍCIO 

 

O programa Selos de Poupança para Meu Futuro custará anualmente ao governo de San Luis cerca de US$ 5 milhões, ou 2% do orçamento da pasta.

O secretário de Economia, José María Emer, disse que o governo local espera assim reduzir "a zero" a repetência e a evasão escolar na província.

Setores da oposição em San Luis criticaram o momento da entrega deste primeiro prêmio, antes das eleições presidenciais de outubro próximo.

Ela recebeu pouco mais de 50% da votação nacional. O governador de San Luis, Alberto Rodríguez Saá, venceu nesta província, mas teve 8,7% do total nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.