Prorrogadas inscrições para prêmio do MEC que incentiva leitura

Escolas, bibliotecas e entidades da sociedade civil podem apresentar suas experiências e concorrer a R$ 90 mil

Estadão.edu

27 Julho 2011 | 16h00

Foram prorrogadas, até o dia 10 de agosto, as inscrições para o Vivaleitura, prêmio do Ministério da Educação (MEC) que incentiva a leitura em espaços escolares, bibliotecas, instituições, entidades e residências. O objetivo do Vivaleitura é democratizar o acesso ao livro, estimular a leitura e a formação cidadã, valorizar o livro e a leitura e apoiar a criação e a produção literárias. 

Escolas, bibliotecas e entidades da sociedade civil podem apresentar suas experiências e concorrer a R$ 90 mil. O prêmio de R$ 90 mil será distribuído entre os três setores, sendo R$ 30 mil para cada um.

Já estão inscritos 1.238 candidatos para o prêmio Vivaleitura 2011, de acordo com o MEC. Destes, 680 são provenientes de escolas públicas, privadas e comunitárias. Em seguida, 409 projetos são oriundos da sociedade, que engloba empresas, organizações não governamentais, pessoas físicas, universidades e instituições sociais. As outras 149 experiências são das bibliotecas públicas, privadas e comunitárias.

O concurso é promovido pelos ministérios da Educação e da Cultura. A coordenação é da Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), com o patrocínio da Fundação Santillana, da Espanha. O Conselho Nacional de Secretários  de Educação (Consed) e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) apoiam a iniciativa.

Inscrições. Para se inscrever, é grátis. Pode ser pela internet ou correio (a carta deve ser registrada, com aviso de recebimento, para o endereço Prêmio Vivaleitura 2011, caixa postal 71.0377, CEP 03410-970 - São Paulo (SP).

Na página eletrônica do prêmio  é possível encontrar o regulamento da sexta edição e o formulário de inscrição. Na página também podem ser conhecidas as 15 experiências vencedoras, desde a primeira edição em 2006.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.