Proporção de alunos de escola pública na USP cresce só 0,5 ponto porcentual

Dos 10.982 aprovados no vestibular, 28,5% vieram da rede pública; universidade planeja ampliar bônus

Estadão.edu,

22 Abril 2013 | 13h31

A proporção de alunos de escola pública aprovados no vestibular da USP cresceu 0,5 ponto porcentual e chegou a 28,5% neste ano, informou nesta segunda-feira, 22, a Pró-Reitoria de Graduação da universidade.

 

"Foi um bom resultado, mas não estou satisfeita. Esperava que (o porcentual) aumentasse", disse a pró-reitora, Telma Zorn. A universidade ofereceu 10.982 vagas no último processo seletivo. Não foram divulgados os dados separados por curso e carreira.

 

Do total de aprovados, 3% foram beneficiados pelo Programa de Avaliação Seriada da USP (Pasusp). São alunos que cursaram o ensino fundamental e médio em escolas públicas e, por isso, podem obter até 15% de bônus na nota do vestibular. No ano passado, o porcentual foi de 5,1%.

 

No caso dos alunos que cursaram só o ensino médio na rede pública e se cadastraram no Programa de Inclusão Social da USP (Inclusp), o porcentual de aprovados passou de 24,3% para 26,8% do total. O bônus para esses candidatos chega a 8% na nota da prova de primeira fase.

 

Cotas

 

Diante dos números, Telma disse que a universidade fará um estudo para entender os motivos para o baixo aumento porcentual do número de alunos da rede pública. Ela adiantou que a bonificação pode crescer no próximo vestibular.

 

Com isso, a ideia é que a universidade reforce suas políticas de atração de alunos da rede pública ao mesmo tempo em que discute se aceita o Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Público Paulista (Pimesp) - que deve ser votado na próxima reunião do Conselho Universitário.

 

O Pimesp prevê que, em 2016, pelo menos metade das vagas das universidades estaduais paulistas sejam ocupadas por ex-alunos da rede pública, respeitando ainda uma "subcota" de 35% para pretos, pardos e indígenas. A própria USP já pensa em criar um bônus específico para esse público.

 

Segundo Telma, também existe a possibilidade de criar um sistema de pontuação acrescida por carreira: alunos da rede pública que prestassem o vestibular para Medicina poderiam ter direito a mais bônus, por exemplo.

 

Outra maneira de atrair bons alunos da rede pública seriam por meio da concessão de bônus a vencedores de olimpíadas científicas, como a Obmep.

 

* Atualizada às 15h30

Mais conteúdo sobre:
USP Cotas Pimesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.