Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Progressão continuada tem sido mal aplicada, diz educadora

Leia entrevista com Sílvia Colello, professora da Faculdade de Educação da USP

Tiago Dantas, Jornal da Tarde

06 Janeiro 2011 | 13h14

Quais as vantagens da progressão continuada?

 

Antes, a gente tinha a multirrepetência e corria o risco de um menino de 12 anos cair na sala de um menino de 7. O menino repete uma, duas, três vezes.  Na quarta vez, ele vai embora. A evasão escolar aumenta muito.

 

Por que o modelo é tão criticado em São Paulo?

 

Como ideia, a progressão continuada é muito boa. O problema é que ela tem sido mal aplicada. Deve-se evitar que se transforme em aprovação automática.

 

Como evitar isso?

 

Você precisa ter melhores sistemas de recuperação paralela e novas formas de motivação ao aluno. No passado, a nota e a reprovação eram a moeda de troca  do professor. Combate-se isso também, com qualidade de ensino. Colocar o aluno para ficar copiando coisa da lousa não vai captar a atenção de um menino do  século 21. Precisa ter recursos, estrutura e formação para o professor poder trabalhar.

Mais conteúdo sobre:
Progressão continuada SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.