Professores de SP fazem protesto, mas não tiram a roupa

Eles desistiram de protestar pelados e decidiram usar aventais com desenhos no formato do corpo humano

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

15 Outubro 2009 | 15h25

Cerca de 200 professores, diretores, vice-diretores e supervisores da rede estadual de ensino de São Paulo, fazem uma manifestação nesta quinta-feira, 15, Dia do Professor, na Avenida Ipiranga, perto da Praça da República. A categoria reivindica melhores salários.

 

Ao contrário do que o Sindicato de Especialistas de Educação do Magistério Oficial do Estado (Udemo) informou, os profissionais desistiram de protestar pelados e decidiram usar aventais com desenhos no formato do corpo humano.

 

Por volta das 13h40, o grupo se reuniu em frente à Secretaria Estadual da Educação, no centro da cidade. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o protesto não prejudica o trânsito porque ocorre na calçada da via.

 

Os manifestantes estão ligados a outros cinco órgãos, como o Sindicato dos Funcionários e Servidores da Educação (Afuse), Centro do Professorado Paulista (CCP), Associação dos Professores Aposentados do Magistério Público do Estado de São Paulo (Apampesp) e Sindicato de Supervisores do Magistério no Estado de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.