Professora é afastada após dar 'gravata' em aluno que usava celular

Ação foi filmada por outro aluno do 6º ano da escola municipal Ministro Synesio Ramos, na zona sul da capital

O Estado de S. Paulo

21 Agosto 2015 | 15h40

Uma professora da rede municipal de São Paulo foi afastada do cargo após ser flagrada imobilizando um aluno de 12 anos com um "gravata" para tirar o celular dele. A ação foi filmada por outros alunos que estavam na aula do 6º na Escola Ministro Synesio Rocha, no Jardim Umarizal, na zona sul da capital. De acordo com a Secretaria de Educação, o caso aconteceu no último dia 12. 

Nas imagens, a professora aparece ao lado do estudante e pede para que ele entregue o celular. Ela diz que vai contar até dez para que ele entregue o aparelho, ao terminar a contagem, ela pergunta se ele não entregará e então o imobiliza.

Quando a professora agarra o estudante, os demais alunos começam a gritar para que a professora se acalme e alguns até tentam acudir o colega.  O vídeo de cerca de um minuto e meio mostra o momento em que a professora vai para a frente da sala e diz aos alunos: "ele teve opção, não teve?"

Em nota, a Secretaria de Educação informou que a direção da unidade deteminou o "imediato afastamento" da professora das atividades escolares e abriu um processo de Apuração Preliminar do caso para que a docente possa responder pela ação. 

A nota diz ainda que, embora a legislação municipal proíba o uso de aparelhos celulares em sala de aula, todas as ações têm como pressuposto a "garantia dos direitos dos educandos e adolescentes".

Mais conteúdo sobre:
Educação violência celular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.