Prefeito aprova implantação de curso da USP em Santos: 'Resgata uma dívida histórica'

João Paulo Papa agora quer pós em Logística e um núcleo do Instituto Oceanográfico

Carlos Lordelo, Estadão.edu

28 Junho 2011 | 18h48

A notícia da transferência do curso de Engenharia de Petróleo da Escola Politécnica da USP para Santos foi celebrada pelo prefeito, João Paulo Tavares Papa (PMDB). "Teremos uma condição excepcional para enfrentar o desafio de explorar o petróleo do pré-sal", afirmou ao Estadão.edu, por telefone.

 

O prefeito espera agora a aprovação de outras duas demandas: a implantação de um curso de pós-graduação em Logística e de um núcleo do Instituto Oceanográfico, em um dos armazéns da região portuária, no bairro do Valongo.

 

"A parceria com a USP resgata uma dívida histórica com a Baixada Santista. Por razões de natureza política, a região ficou privada de se desenvolver, ter universidade pública, avançar em ciência e tecnologia", disse Papa. A Unifesp tem um câmpus em Santos desde 2005.

 

Os cursos da USP em Santos serão oferecidos em dois imóveis no bairro de Vila Matias, na região central. Um deles, de responsabilidade da prefeitura, é a antiga sede da Companhia Santista de Transportes Coletivos. Projetado por Ramos de Azevedo, o outro prédio, uma escola estadual, serve como escritório da diretoria regional de ensino da secretaria estadual da Educação. "Haverá espaço para uma futura expansão do câmpus."

Mais conteúdo sobre:
USP Santos Engenharia de Petróleo Poli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.