Prédio da FAU-USP traduz aspirações por mudança da época

O prédio da FAU foi projetado em concreto armado pelo arquiteto João Batista Vilanova Artigas (1915-1985). Ele era professor da faculdade, que funcionava na Rua Maranhão, em Higienópolis. A construção começou em 1966 e foi concluída em 1969. Para a filha do arquiteto, Rosa Artigas, é impossível pensar no prédio sem contextualização. “Pertence a um período histórico, em que havia perspectiva de mudança.”

Mônica Pestana, Jornal da Tarde

19 Dezembro 2010 | 22h24

 

O prédio tem um enorme bloco de concreto sustentado por pilares em forma de trapézio. Segundo especialistas, a ideia de continuidade espacial, que o grande vazio central apresenta, é o eixo do ousado projeto de Artigas, que pensou também nos amplos espaços abertos como uma forma de integração.

 

“A construção não é aberta à toa. Tem um contexto de uma reforma universitária e havia a ideia de reforma do ensino de arquitetura”, diz Rosa.

 

”Aqui, não se aprende que a manutenção fica mais barata do que começar do zero. Não faz sentido o local que é considerado a casa dos arquitetos estar caindo aos pedaços."

 

Veja também:

 

- Em ruínas, FAU recebe R$ 6 milhões para reforma

Mais conteúdo sobre:
FAU FAU-USP USP Reforma Cidade Universitária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.