Por dentro da gigante de 90 mil alunos

Orçamento, de R$ 4,3 bilhões, é maior do que o de 90% das cidades paulistas; 100 mil pessoas circulam pela Cidade Universitária por dia

Paulo Saldaña, O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2014 | 03h00

São quase 90 mil alunos matriculados (58 mil de graduação e 28 mil de pós-graduação), cerca de 6 mil professores e 16 mil funcionários distribuídos em câmpus localizados em sete cidades do Estado - além de centros de apoio e pesquisa em outras 12. Para essa máquina funcionar, a Universidade de São Paulo tem um orçamento nada desprezível: R$ 4,3 bilhões em 2013, mais do que 90% dos municípios paulistas.

A folha de pagamento engole 100% do orçamento. Isso faz com que a universidade recorra às suas reservas. "Houve um certo avanço excessivo de gastos e a situação está muito delicada, insustentável em um prazo maior", diz o professor Hélio Nogueira da Cruz, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA-USP).

Manter uma universidade como a USP aberta não se resume a ter professores na sala de aula e pesquisadores em laboratórios. Há outras complexidades: só na Cidade Universitária, cujas ruas já fazem parte do viário paulistano, circulam por dia 100 mil pessoas, 55 mil veículos e ônibus de 10 linhas. Por ano, 400 árvores doentes e mortas são cortadas e, a cada mês, 1,337 milhão de m² de grama e canteiros são podados. O custeio total consome em torno de 15% do orçamento da instituição.

As três universidades estaduais (USP, Unicamp e Unesp) são financiadas com um porcentual fixo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A maior parcela fica com a USP (5%).

Mais conteúdo sobre:
USP 80 anos universidade São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.