Polícia acha ossadas em terreno da São Marcos

Funcionários diz que enterrou cadáveres por ordem de superior; corpos podem ter sido usados em ensino e pesquisa

31 Maio 2012 | 21h41

A Polícia Civil de São Paulo encontrou ossadas humanas no terreno da Universidade São Marcos, no Ipiranga, zona sul da capital. Os policiais descobriram os restos humanos após uma denúncia anônima. No local, graças a cães farejadores, foram encontrados 15 crânios, ossos, 3 fetos, uma criança sem cabeça e sem mãos e um cadáver adulto sem as pernas.

O terreno fica ao lado da Faculdade de Ciências Biológicas da São Marcos, que está com os cursos suspensos e foi descredenciada pelo Ministério da Educação (MEC) em março. Os restos mortais seriam de uso em ensino e pesquisa.

Segundo a polícia, um auxiliar de manutenção afirmou que ele próprio enterrou os cadáveres a mando de um coordenador administrativo. Ambos foram levados para a delegacia, acompanhados da reitora da instituição, Maria Aurélia Varella. 

O caso está sendo investigado pela 5.ª Delegacia de Repressão a Crimes contra Criança e Adolescente do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Assim que recebeu a denúncia, a delegada Cíntia Tucunduva instaurou inquérito e pediu à Justiça um mandado de busca e apreensão para apurar. O mandado foi expedido. A reportagem tentou contato com a reitora, mas ela não atendeu as ligações.

 

Mais conteúdo sobre:
são marcos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.