PM diz que invasores deixaram 7 bombas incendiárias na reitoria

Polícia recolhe morteiros e garrafão de gasolina; desenhos a tinta fazem menção a 'oficina' de coqueteis molotov

Pedro da Rocha e Carlos Lordelo, Estadao.com.br

08 Novembro 2011 | 08h41

 A PM acaba de mostrar sete garrafas com bombas incendiárias, feitas com gasolina e panos, apreendidas na reitoria da USP. Também havia seis caixas de morteiros e um garrafão com 5 litros de gasolina. Pinturas nos vidros e paredes fazem alusão a uma "oficina" de fabricação de coquetéis molotov.

Numa das salas, uma pintura mostra uma pessoa mascarada atirando um coquetel molotov num veículo da PM. Num vidro em outro ponto do prédio está escrito, como numa história em quadrinhos: "E a oficina de coquetel molotov?" A resposta está abaixo, em meio à representação de uma explosão: "Bang, bang".

Muito lixo no chão e slogans pintados a tintas na parede são o que mais chama a atenção nas dependências da reitoria da USP após a desocupação feita pela PM nesta manhã. A reportagem acaba de entrar no local e não encontrou bens ou equipamentos destruídos, com exceção de portas de madeiras arrombadas – não se sabe se pelos alunos ou pela polícia.

Os estudantes retirados da reitoria deixaram para trás colchões, colchonetes, roupas, mochilas e até documentos. Além de muito papel e jornal espalhados, o local tinha cadeiras e sofás amontoados, uma impressora no chão e garrafas de bebida alcoólica, entre elas duas de vinho.

Os alunos improvisaram um espaço de pintura numa das salas, com potes de tinta usadas nas pichações e, provavelmente, para fazer cartazes. Também montaram uma espécie de “farmácia” num balcão de atendimento, com gaze e mercurocromo.

Apesar da sujeira, os vidros permaneciam intactos. Também foram poupados de pichações os quadros de antigos reitores no salão principal do prédio.

"Fora USP do câmpus", diz uma das frases pichadas. “Faz de conta que a escolha é sua” é outra frase pintada pelos estudantes, numa tela de TV. “O tempo passa, o tempo voa, só o Rodas continua numa boa”, é outra, pintada na parede de uma das salas, sob um relógio. Mais uma: "Ocupe a reitoria que existe em você. Aqui é um lugar de pensamento livre, entende?" 

Mais conteúdo sobre:
USP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.