Passeata dos grevistas fecha toda pista da Avenida Paulista

Manifestantes em greve das três universidades estaduais fazem ato pacífico no centro

Elida Oliveira, Especial para o Estado de S. Paulo

18 Junho 2009 | 13h22

Alunos, funcionários e professores da USP, Unesp e Unicamp que estavam reunidas no vão livre do Masp, começaram a passeata rumo ao Largo São Francisco por volta das 13h10. Eles ocuparam todas as faixas da via da Avenida Paulista no sentido Paraíso-Consolação e o trânsito foi bloqueado pela Polícia Militar. Segundo a PM, havia cerca de 600 manifestantes no local. Para os organizadores do ato, o público total era de 1500 pessoas.    O clima entre os manifestantes e a Polícia militar era amistoso. O major responsável pela operação, Wanderley Barbosa Filho, garantiu que será uma manifestação pacífica e sem confrontos. "Estamos tratando o público como pessoas cultas e esclarecidas. O objetivo deles não é partir para o confronto e nós vamos agir com proporcionalidade, adequabilidade e legalidade".   João Chaves, coordenador do Fórum das Seis (entidade que reúne representantes das três universidades estaduais), reitera que a proposta é que seja uma passeata sem confrontos. "O objetivo central do ato é manifestar o repúdio à ação do Butantã, que colocou tropas para reprimir um ato pacífico".   Cerca de 220 PMs farão a segurança durante o trajeto do Masp até o Largo São Francisco, além dos 50 policiais que já estão posicionados em frente à Faculdade de Direito aguardando a manifestação. "Este número é quase o dobro do que foi informado ontem, pois a quantidade de policiais é dimensionada de acordo com o número de pessoas presentes", explicou Filho.   Segundo o major, a polícia não vai permitir que os manifestantes fecham as ruas e, para isso, está sendo montada uma operação conjunta entre a polícia, a CET e os grevistas, que destacaram cerca de 100 pessoas para participarem da comissão de segurança. Eles levam faixas amarelas nos braços e devem cuidar para que os manifestantes ocupem apenas uma faixa das vias durante toda a passeata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.