Olimpíada de matemática é primeiro passo para a inovação, diz Dilma

Presidente participou nesta 2ª-feira da cerimônia de premiação da Obmep

Agência Brasil,

27 Agosto 2012 | 20h57

O Brasil tem dado os passos necessários para o desenvolvimento tecnológico. E a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) é passo importante rumo à inovação. A afirmação é da presidente Dilma Roussef, que posou para fotos, parabenizou e deu palavras de incentivo aos 500 estudantes de todo o Brasil premiados com medalha de ouro na competição.

 

A cerimônia de premiação da 7º Obmep ocorreu nesta segunda-feira, 27, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

 

“Eu sei que este país vai dar os passos necessários e vai conseguir ser um país que nós sabemos que ele pode ser se esses talentos que nós vemos surgir a partir dessa olimpíada de matemática tiverem a possibilidade de ser devidamente canalizados para o bem dessas pessoas, na medida em que elas têm oportunidades, e também para o Brasil, na medida em que essas oportunidades vão se transformar em mais crescimento, em maior riqueza, em mais rumo na vida de nosso país”, discursou a presidente.

 

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, lembrou que o Brasil tem atualmente 13 olimpíadas de escolas públicas e anunciou a intenção de fazer, em 2016, a primeira Olimpíada do Conhecimento da Juventude, integrando as disciplinas.

 

O coordenador da Obmep, Claudio Landim, explica que um dos objetivos da competição é detectar alunos talentosos e destacou a trajetória de alguns participantes, como Tábata Ponte, de São Paulo, que, graças à bolsa de iniciação científica oferecida aos premiados, conseguiu estudar em uma escola particular, foi aprovada para o curso de Física da USP no ano passado e, este ano, em cinco universidades dos Estados Unidos. “Que destino teriam esses alunos brilhantes se não fosse a Obmep e a iniciação científica?”, questiona Landim.

 

O presidente do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), César Camacho, afirmou que a Obmep é um exemplo de economicidade atestado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), quanto à aplicação de recursos públicos e retorno social oferecido.

 

”Quanto custa a Obmep? Ela é uma atividade de dois anos, no primeiro ocorrem as duas provas, a primeira para quase 20 milhões de estudantes e a segunda para um milhão. No segundo ano ocorre o programa de iniciação científica. O custo total é de menos de R$ 1,80 por aluno participante, menos do que uma passagem de ônibus”.

 

Camacho anunciou que o programa de iniciação científica vai ser ampliado progressivamente. Atualmente, 3 mil alunos são contemplados com a bolsa de estudo de R$100. Para este ano, serão 4,5 mil estudantes, chegando a 10 mil em 2016.

 

Em sua sétima edição, a Obmep tem como objetivo estimular o estudo de matemática no País. Podem participar estudante do 6.º ao 9.º ano do ensino fundamental e dos três anos do ensino médio. Além das medalhas de ouro, prata e bronze para os alunos, de acordo com a colocação, as escolas e professores mais atuantes recebem computadores e outros equipamentos. A premiação foi referente à competição de 2011, que contou com a participação de 18 milhões de estudantes, de 44 mil escolas.

 

A classificação na Obmep também é usada como critério para programas como o Ciência sem Fronteiras e para mestrado e iniciação científica.

Mais conteúdo sobre:
Matemática Dilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.