Negociação salarial nas universidades só será retomada em setembro

Professores e funcionários das instituições paulistas, parados há dois meses, reivindicavam novo encontro ainda em agosto

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

28 Julho 2014 | 21h23

SÃO PAULO - Apesar da pressão de professores e funcionários das universidades estaduais de São Paulo em greve, ficou para o dia 3 de setembro a retomada da negociação salarial entre o Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) e o fórum de entidades sindicais das três instituições. As categorias, paradas há dois meses contra o congelamento de salários, reivindicavam novo encontro ainda em agosto.

A justificativa para o reajuste zero é a crise das universidades, que gastam quase toda a receita com salários. O Cruesp já havia se comprometido a rediscutir a medida em setembro, a depender da soma de repasses para a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade Estadual Paulista (Unesp). Ainda não se sabe o impacto da greve no retorno das aulas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.