Mostra leva à Unicamp experiência de diferentes projetos de PET e Novos Talentos

Por meio dos programas, estudantes desenvolvem atividades de ensino, pesquisa e extensão

Portal Unicamp,

11 Novembro 2012 | 16h03

A Unicamp recebeu na quinta-feira, 8, a 2.ª Mostra PET e Novos Talentos. Universidades de todo o País tiveram a oportunidade de compartilhar suas experiências com o programa que permite aos estudantes colocar em prática atividades de ensino, pesquisa e extensão. O PET é desenvolvido nacionalmente pelo Ministério da Educação (MEC) e o Programa Novos Talentos, por meio de edital da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

 

O evento, que começou com uma mostra de trabalhos de alunos da graduação chamada Sementes Crioulas e com estandes exibindo a atuação de dois programas do PET na Unicamp, foi aberto pelo pró-reitor de Graduação, professor Marcelo Knobel. Ele disse que há quatro anos não havia essa iniciativa e que, por isso, “a universidade ainda é uma família pequena nesta experiência”.

 

Segundo o pró-reitor, esta será uma boa oportunidade de crescimento para os alunos, docentes e a universidade como um todo, que deverá ser ampliada ainda mais com o apoio do governo. “E os primeiros resultados começaram a aparecer”, afirmou, depois de agradecer às pessoas que participam de ambos os projetos.

 

A professora Maria Aparecida Diniz, assessora da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Preac), uma das apoiadoras da mostra, disse que este é o momento em que os alunos da graduação poderão colocar em prática as atividades de ensino, pesquisa e extensão aprendidos até aqui, o que deve enriquecer muito o seu conhecimento através dos projetos e do modus operandi.

 

Para o coordenador do Programa Novos Talentos, Nelson Henrique Morgon, professor do Instituto de Química da Unicamp, esta é uma grande possibilidade de mostrar os dois programas extramuros da universidade, já que a iniciativa busca amplificar suas ações também para a formação de qualidade no ensino fundamental e médio das escolas públicas. De acordo com ele, a Capes abriu o Novos Talentos com um projeto e um subprojeto. O ano passado foi o primeiro da experiência.

 

Dos 180 projetos existentes no País, cinco foram convidados para apresentar o que fazem, para troca de informações entre instituições. Estiveram na Unicamp representantes da USP, da Estadual de Londrina e das federais do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul e de Uberlândia. A previsão é que seja aberto um novo edital PET até o mês que vem, que tende a estimular a formação de novos grupos.

 

Entusiasta desses programas, a assessora da Pró-Reitoria de Graduação da Unicamp Eliana Amaral explica que o Novos Talentos financia as ações e, o PET, a bolsa. “A ideia é que ambos aproximem a extensão, o ensino e a pesquisa”, destacou. Essas ações também ajudam o aluno a valorizar ainda mais o fato de estudar em universidades preocupadas com suas inserções em projetos de qualidade, acredita Eliana.

 

No último edital PET, foram mais de 700 projetos inscritos. A Unicamp apresentou seis e agora aguarda o resultado da avaliação. O importante, salienta Eliana, é que com isso a universidade pode atuar mais no seu entorno com atividades voltadas à escola pública.

 

* Atualizada à 0h20 do dia 12/11

Mais conteúdo sobre:
Unicamp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.