Moradores da USP furtam comida de restaurante universitário

Cerca de 100 alunos retiraram alimentos; para representante, ato não foi furto porque comida seria 'direito'

Carolina Stanisci - Estadão.edu e Luciana Alvarez - O Estado de S. Paulo

15 Junho 2010 | 10h10

Um grupo de moradores do Conjunto Residencial da Universidade de São Paulo (Crusp) invadiu, na madrugada de sexta-feira passada, o restaurante central da universidade para retirar alimentos do estoque.

 

Segundo um membro da Associação de Moradores do Crusp que pediu para não ser identificado, o ato foi decidido em assembleia. Cerca de 100 estudantes participaram da ação e a comida retirada foi distribuída para cerca de 550 moradores. Para os estudantes, porém, não se tratou de furto.

 

"A gente não fez nada radical, apenas retirou de lá os alimentos, que são um direito nosso", afirmou o morador, que culpou a administração da Coordenadoria de Assistência Social (Coseas) pelo ato. "Sempre que há greve, os trabalhadores liberam os alimentos porque sabem que temos necessidade. A não liberação foi uma ordem do Coseas para nos colocar contra os servidores", afirmou.

 

Em nota, o Coseas rebateu a acusação e afirmou que, desde o início da greve dos funcionários, vinha entregando os alimentos por meio da associação de moradores do Crusp, às sextas-feiras. Nas últimas duas semanas, no entanto, segundo a coordenadoria, não houve contato dos moradores e, por isso, a comida não foi entregue.

 

A nota afirmou também que, desde o dia 18 de março, o local vive em "estado de tensão", por conta da invasão de uma área do prédio da coordenadoria por estudantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.