MEC tem corte orçamentário de R$ 3 bi, o terceiro maior do governo

Haddad diz que os programas da pasta não serão afetados

Estadão.edu, com Agência Brasil

01 Março 2011 | 12h01

O Ministério da Educação (MEC) teve o terceiro maior corte orçamentário entre as reduções anunciadas nesta segunda-feira, 28, pelo Ministério do Planejamento. Serão cortados R$ 3,1 bilhões da pasta, que tinha orçamento previsto em R$ 69 bilhões para este ano.

 

Segundo o ministro Fernando Haddad, os programas do MEC não serão afetados. Os cortes será feito em despesas discricionárias, aquelas em que o governo tem poder de deliberação sobre sua execução, de acordo com as prioridades, podendo ser objeto de contingenciamento. Por exemplo: gastos com diárias, passagens, compra de material e contratação de serviços. Haddad afirmou ontem, em Recife, que as ações previstas serão executadas.

 

De acordo com o MEC, do total a ser cortado, cerca de R$ 2 bilhões são de emendas parlamentares. A pasta vai analisar quais tipos de despesa terá de cortar para fazer a economia referente ao R$ 1 bilhão restante.

Mais conteúdo sobre:
MEC Corte Orçamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.