MEC lança programa que visa auxiliar brasileiros no aprendizado de língua inglesa

Iniciativa é voltada a estudantes que desejam participar do Ciência sem Fronteiras

Estadão.edu, com informações da Assessoria de Comunicação Social do MEC,

18 Dezembro 2012 | 10h11

Para auxiliar a integração dos estudantes brasileiros que participarão do programa Ciência sem Fronteiras, o Ministério da Educação (MEC) lança nesta terça-feira, 18, o Inglês sem Fronteiras. Entre as iniciativas da medida está a aplicação de 500 mil testes de nivelamento de proficiência em língua inglesa até 2014 e o fortalecimento do ensino de línguas nas universidades.

A primeira etapa do Inglês sem Fronteiras está prevista para ter início em fevereiro de 2013, com o atendimento de 40 mil estudantes que passarão pelos testes aplicados por instituições de educação superior certificadas. Ao longo do programa, serão também desenvolvidas ações que visam credenciar universidades para aplicação de testes de proficiência exigidos para o intercâmbio, como o Test of English as a Foreign Language (Toefl) e o International English Language Testing System (Ielts).

Representantes de dez universidades federais integram comissão criada para planejar, organizar e gerenciar as ações do programa. São elas as universidades federais de São Carlos (UFSCar), Santa Catarina (UFSC), Minas Gerais (UFMG), Uberlândia (UFU), Rio Grande do Sul (UFRGS), Fluminense (UFF), Ceará (UFC), Pernambuco (UFPE), Mato Grosso (UFMT) e da Universidade de Brasília (UnB).

Dos 500 mil alunos que farão os testes previstos pelo programa, 100 mil receberão uma senha para fazer um curso a distância de inglês. Destes, os 10 mil melhores poderão participar ainda de cursos presenciais nas universidades parceiras.

 

Cartão pré-pago

Durante o lançamento do Inglês sem Fronteiras, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, apresentará um cartão pré-pago do Banco do Brasil e do Banco do Brasil Américas que será usado como uma nova forma de pagamento das bolsas do Ciência sem Fronteiras. O novo sistema permitirá o pagamento do crédito em conta-corrente do estudante no exterior. Com ele, serão reduzidos os custos dos bolsistas e eliminada a necessidade de abertura de contas e pagamento de tarifas em bancos estrangeiros. O cartão poderá ser usado em todos os países que aceitam a bandeira Mastercard e possibilitará depósitos de outras fontes, como dos familiares, por exemplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.