MEC anuncia ampliação do crédito educativo para a pós-graduação

Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) atenderá a 31,6 mil alunos de 600 programas de mestrado e doutorado 

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

01 Julho 2014 | 19h44

SÃO PAULO - O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta terça-feira, 1º, a ampliação do crédito educativo para a pós-graduação, a partir do segundo semestre. O lançamento da medida foi adiantado pelo Estado na semana passada. O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) atenderá a 31,6 mil alunos de 600 programas de mestrado e doutorado em cerca de 170 instituições particulares do País. 

A legislação do Fies já previa o atendimento de estudantes da pós, mas isso nunca ocorreu na prática, o que motivou pressão das associações de pós-graduandos e de faculdades privadas. O programa terá as mesmas regras de empréstimo da graduação, com juros de 3,4% anuais e quitação da dívida a partir de um ano e meio após a formatura. 

O Fies da Pós só contemplará programas reconhecidos pela Coordenação de Avaliação de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão ligado ao MEC. Especializações e MBAs (Master in Business Administration) não estão incluídos. Nesta semana o MEC abrirá o sistema para adesão de instituições privadas e, depois, os alunos poderão solicitar o financiamento. 

O crédito educativo da pós é uma aposta para ampliar o acesso, como ocorreu nos últimos anos com a graduação por meio de bolsas e financiamentos em faculdades particulares. Outro objetivo é também incentivar novos mestrados e doutorados. 

“Temos todo o interesse em fazer com que os cursos de pós-graduação sejam fomentados a partir desse financiamento”, afirmou nesta terça o ministro Henrique Paim, durante o evento em que anunciou o programa. “Nós sabemos que existe uma demanda importante de financiamento nessa área, especialmente nos cursos de mestrado profissional”, completou. 

O diretor-executivo da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior, Sólon Caldas, acredita que o passo é importante, mas outros avanços são possíveis. “Segue na nossa pauta a liberação do Fies para cursos à distância (EAD)”, defendeu. Embora o ministro já tenha se manifestado favorável a estender o Fies para o EAD, a inclusão da modalidade ainda não é prevista pelo MEC.

Mais conteúdo sobre:
Fies pós-graduação crédito educativo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.