MEC aguarda resposta da Unip para se manifestar sobre denúncias

Universidade é acusada de selecionar apenas os melhores alunos para prestar o Enade

Estadão.edu,

07 Março 2012 | 15h16

O ministro Aloizio Mercadante (Educação) disse ontem que o MEC deu prazo de dez dias - a partir da segunda-feira, dia 5 - para que a Universidade Paulista (Unip) dê explicações sobre as denúncias de que está selecionando apenas os melhores alunos para prestar o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). Somente depois de receber as respostas da Unip é que o MEC informará que decisão vai tomar em relação à universidade.

 

O Enade é uma prova obrigatória que compõe o Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior. Universidades que não inscrevem alunos habilitados ao exame podem ser proibidas temporariamente de abrir processos seletivos para os cursos avaliados em cada edição.

 

Ex-alunos da Unip afirmam que a universidade formou estudantes que prestaram o Enade junto com outros que não fizeram o exame. Segundo denúncias enviadas ao Estadão.edu, isso ocorre porque a Unip tem um mecanismo, o regime de progressão tutelada, que permite atribuir notas quando o coordenador do curso achar conveniente.

 

A atribuição de notas ocorreria só em dezembro. Isso pode explicar casos como o de um ex-aluno de Direito que prestou Enade em novembro de 2009. "Na classe, mais de 25 alunos se formaram, mas só eu e mais 4 fizemos o Enade."

 

A denúncia contra a Unip foi revelada pelo Estadão.edu na última sexta-feira.

Mais conteúdo sobre:
Unip Enade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.