Inep define horário e disciplinas de cada dia de prova do Enem

Estudantes terão dez horas para responder às 180 questões nos dias 3 e 4 de outubro

Elida Oliveira, Especial para O Estado de S. Paulo

28 Maio 2009 | 14h05

O presidente do Inep e coordenador do Enem, Reynaldo Fernandes, divulgou com exclusividade para o Estadão.edu o número de questões da nova prova do Enem, as datas, horários e conteúdos de cada dia de teste. Os estudantes que fizerem a nova prova terão dez horas para responder às 180 questões que avaliarão competências e habilidades. O conjunto está dividido em dois dias: 3 e 4 de outubro, das 13h às 17h30 e das 13h às 18h30, respectivamente. De acordo com Reynaldo Fernandes, o número de questões foi reduzido de 200 para 180 para tornar o teste menos cansativo para o aluno, sem perder com isso o parâmetro de avaliação necessário para a prova.     Presidente do Inep, Reynaldo Fernades, respondeu às perguntas dos estudantes sobre o Enem   Veja também:    Entrevista de Reynaldo Fernandes na TV Estadão   Deciframos o DNA do Enem   A divisão dos conteúdos em cada bloco de prova também foi definida. No sábado, 3 de outubro, serão avaliados conhecimentos das áreas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias. Os alunos terão quatro horas e meia (das 13h às 17h30) para responder a este bloco de questões.   No domingo, 4 de outubro, haverá cinco horas e meia para as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, e a Redação. A prova terá início às 13h e se encerra às 18h30.   Nos dois dias, o tempo mínimo de permanência na sala é de duas horas. Após quatro horas de testes, o caderno de questões estará liberado para ser levado pelos candidatos que quiserem conferir as alternativas selecionadas.   Respondendo às perguntas enviadas por alunos, professores e coordenadores para o Estadão.edu, Reynaldo Fernandes explicou como vai funcionar a Teoria de Resposta ao Item (TRI), parâmetro de avaliação usado neste novo exame. "A teoria nos permitirá analisar a proeficiência do aluno em cada área de conhecimento, pois cria uma escala centimetrada de desempenho", disse. De acordo com ele, a TRI analisa não somente as questões acertadas, mas também o padrão de respostas dadas pelo aluno. "Se ele errar todas as fáceis e acertar muitas difíceis, o programa reconhece o padrão como inadequado, apontando o chute. Isso nos permite reduzir o acerto ao acaso, mas não elimina totalmente", afirma. Todas as questões do Enem são pré-testadas com alunos do ensino médio.   O presidente do Inep também comentou a ausência de Língua Estrangeira no exame e disse que no ano que vem serão incluídos conteúdos de Inglês e Espanhol na avaliação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.