Grevistas voltam a bloquear entrada da reitoria da USP

Sindicato dos funcionários diz que próximo passo do movimento é fechar toda a Cidade Universitária

Elvis Pereira, da Central de Notícias,

02 Junho 2009 | 16h57

Grevistas voltaram a bloquear na manhã desta terça-feira, 2, as entradas da reitoria e de mais sete prédios da Cidade Universitária da Universidade de São Paulo (USP), na zona oeste da capital.

 

O novo fechamento ocorreu um dia após a Polícia Militar liberar o acesso aos imóveis, com base numa liminar que autorizava a reintegração de posse. A USP informou que o cumprimento da decisão, agora, está nas mãos da Justiça.

 

Os funcionários da USP entraram em greve no último dia 5. Entre as reivindicações da categoria estão reajuste salarial e aumento de recursos para a educação.

 

Segundo o diretor do Sindicato do Trabalhadores da USP (Sintusp), Magno de Carvalho, quase 70% dos 15 mil empregados da instituição já aderiram ao movimento. Também participam da paralisação trabalhadores de 11 câmpus da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

 

Carvalho anunciou que o próximo passo é fechar a entrada da Cidade Universitária, na quinta, 4. "Vamos colocar a greve para fora da USP, levar nossos motivos à população", afirmou. Procurado, o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) informou que até esta tarde não havia nenhuma operação prevista para ser efetuada na USP.

Mais conteúdo sobre:
usp greve reitoria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.