Grevistas bloqueiam entrada do câmpus da Unesp em Bauru

Apesar de liminar que vedava o "trancaço", manifestantes decidiram manter a manifestação

O Estado de S. Paulo

31 Julho 2014 | 19h39

Atualizado às 20h34.

SÃO PAULO - Funcionários da Universidade Estadual Paulista (Unesp) bloquearam a entrada do câmpus Bauru da instituição nesta quinta-feira, 31. Nesta semana a reitoria havia conseguido uma liminar na Justiça para impedir o protesto, mas os manifestantes mantiveram o ato.

De acordo com a assessoria de imprensa da Unesp, não houve ocorrências graves, mas a Polícia Militar foi acionada para registrar um boletim de ocorrência. A multa diária em caso de descumprimento do veto ao "trancaço", estipulada pela Justiça, era de R$ 10 mil ao Sindicato dos Trabalhadores da Unesp (Sintunesp).

Nos câmpus de São José dos Campos e Presidente Prudente, os grevistas também fizeram atos, mas não houve restrição de acesso. Professores e funcionários das estaduais cruzaram os braços há dois meses contra o congelamento de salários das categorias, proposto pelos reitores em maio. A negociação salarial será retomada somente em setembro.

Transparência.  O Conselho Universitário da Unesp, órgão máximo da instituição, resolveu montar um grupo de trabalho para elaborar propostas de gestão, execução orçamentária e transparência financeira. A decisão foi tomada em sessão extraordinária do órgão na tarde desta quinta-feira.

Mais conteúdo sobre:
unesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.