APP-Sindicato/Divulgação
APP-Sindicato/Divulgação

Greve dos professores estaduais do Paraná termina após 45 dias

Aulas recomeçam nesta quarta-feira; confronto entre docentes e Polícia Militar durante protesto marcou paralisação no Estado

Julio Cesar Lima, Especial para o Estado

09 Junho 2015 | 12h43

CURITIBA - Os professores do Paraná decidiram retornar à sala de aula, após 45 dias de greve. A decisão foi tomada em assembleia no Estádio da Vila Capanema, com cerca de dez mil pessoas, no final da manhã de terça-feira, 9. Com isso, os professores retomam as aulas nesta quarta-feira, 10.

O acordo, conforme projeto encaminhado à Assembleia Legislativa e que será votado durante a tarde, propõe que o Estado pague 3,45% de aumento (referente à inflação de maio a dezembro de 2014) em uma única parcela, em outubro deste ano.

Já a inflação relativa a 2015 será fechada em janeiro de 2016. As perdas inflacionárias de 2016 deverão ser repassadas em janeiro de 2017 juntamente com um adicional de 1%. Os professores queriam 8,17% em parcela única a ser paga neste mês.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), Hermes Leão, o movimento mostrou um resultado positivo.  Leão comentou os confrontos ocorridos em 29 de abril, assim como, as quedas dos secretários da Educação, Fernando Xavier, e da Segurança, Fernando Francischini, provocadas pela greve e os conflitos.

Mais conteúdo sobre:
paraná beto richa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.