Diego Rocha/MEC
Diego Rocha/MEC

Governo está otimista em aprovação no Congresso de MP que mudou Fies

Secretária-executiva do MEC teme que emendas propostas por parlamentares distorçam texto e inviabilizem financiamento

Dayanne Sousa, O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2017 | 18h18

SÃO PAULO - A secretária-executiva do Ministério da Educação (MEC), Maria Helena Guimarães de Castro, afirmou nesta quinta-feira, 28, que o governo acredita “com otimismo” na aprovação no Congresso Nacional da medida provisória que altera as regras do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Durante um congresso do setor de ensino privado em São Paulo, Maria Helena afirmou que o grande número de emendas propostas por parlamentares podem causar distorções no texto as quais, segundo ela, inviabilizariam o financiamento.

+++ Novo Fies começa em 2018 com 100 mil vagas a juro zero

A secretária defendeu as alterações no programa, que, conforme a nova medida, passará a ter três tipos de financiamento. Serão 100 mil vagas no formato de financiamento com garantia do fundo garantidor do Fies. Na modalidade Fies regional, são 150 mil vagas para as Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Outras 60 mil vagas envolvem ações em conjunto com bancos privados, disse Maria Helena.

Maria Helena fez críticas a políticas para financiamento adotadas em governos anteriores, dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (ambos do PT). Ela argumentou que a alteração no programa de financiamento era necessária para corrigir equívocos do passado.

A secretária afirmou que houve falta de planejamento na expansão de vagas do Fies que ocorreu até 2014 e que o fundo garantidor - destinado a cobrir calotes - quebraria ao final do ano que vem caso não fossem feitas mudanças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.